Revista EntreLínguas https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas <p>A Revista<em> EntreLínguas</em> possui periodicidade semestral, com submissão em fluxo contínuo e aceita artigos, resenhas críticas e relatos de experiências inéditos relacionados ao processo de ensino e aprendizagem de Línguas Estrangeiras Modernas(LEM) com o fito de promover o debate sobre os processos teórico-metodológicos do ensino de LEM. Os textos são aceitos em português, espanhol ou em inglês.</p><p>Publicar artigos, relatos de experiências, resenhas críticas e entrevistas de pesquisadores nacionais e internacionais, com o fito de promover o debate sobre os processos teórico-metodológicos do ensino de LEM, em todos os níveis de educação, bem como:</p><p>Ensino e aprendizagem de línguas estrangeiras modernas (LEM);</p><p>Formação de Professores para o Ensino de Línguas - inicial e continuada -, currículo nacional e internacional;</p><p>Processos de ensino e aprendizagem de Línguas Estrangeiras Modernas;</p><p>Estudos e perspectivas do contato linguístico na sala de aula docente;</p><p>Tecnologias de Informação e Comunicação para o ensino de línguas (LEM);</p><p>O ensino da língua em sociedades bilíngues;</p><p>Os aspectos morfosintáticos e léxicos (LEM)</p><p>Concepções teórico-metodológicas para o ensino e a aprendizagem de línguas estrangeiras: contextos e perspectivas.</p><p>----</p><p>A Revista EntreLínguas aceita propostas de Dossiês organizados. </p><p>Os dossiês são edições organizadas por convidados, pesquisadores e professores. Na organização dos dossiês, os mesmos serão observados quanto ao caráter interinstitucional e abordar temáticas de relevância para a área distinta e especificada ao Foco e Escopo da revista. O objetivo do dossiê é ampliar o debate acadêmico, fomentar intercâmbios de pesquisa e/ou adensar as experiências formativas em investigação e/ou ensino com a comunidade científica nacional e internacional.</p><p>A avaliação da proposta de dossiê acontece em duas etapas:</p><p>Primeiramente, o(s) proponente(s) deve(m) enviar a ementa do dossiê no e-mail <a href="mailto:%72%65%76%69%73%74%61.%65%6e%74%72%65%6c%69%6e%67%75%61%73@%67%6d%61%69%6c.%63%6f%6d">revista.entrelinguas@gmail.com</a> com cópia para anderson.cruz@unesp.br, com nome e identificação institucional dos proponentes (três, no máximo, e preferencialmente um deles com título de doutor), bem como com os títulos dos trabalhos, autores e filiação institucional (Instituição, departamento e programa de pós-graduação). Os autores devem seguir as normas das diretrizes para submissão. Os organizadores serão responsáveis pelo envio do material nas etapas.</p><p> </p><p>----</p><p>Qualis A3 (2017-2018)</p><p> </p> Universidade Estadual Paulista pt-BR Revista EntreLínguas 2447-3529 <p>Os manuscritos aceitos e publicados são de propriedade da Revista <em>EntreLínguas</em>. Os artigos publicados e as referências citadas na Revista <em>EntreLínguas</em> são de inteira responsabilidade de seus autores.</p><p><strong>Transferência de direitos autorais – autorização para publicação</strong></p><p>Caso o artigo submetido seja aprovado para publicação, já fica acordado que o(s) autor(es) autoriza(m) a UNESP a reproduzi-lo e publicá-lo na EntreLínguas, entendendo-se os termos “reprodução” e “publicação” conforme definição respectivamente dos incisos VI e I do artigo 5° da Lei 9610/98. O artigo poderá ser acessado pela rede mundial de computadores (Internet), sendo permitidas, a título gratuito, a consulta e a reprodução de exemplar do artigo para uso próprio de quem a consulta, desde que haja a citação ao texto consultado. Essa autorização de publicação 328 EntreLínguas, Araraquara, v. 1, n .2, p. 323-328, jul./dez. 2015 não tem limitação de tempo, ficando a UNESP responsável pela manutenção da identificação do(s) autor(es) do artigo. Os artigos publicados e as referências citadas na Revista EntreLínguas são de inteira responsabilidade de seus autores.</p><p> </p> A importância das modificações de estilo de vida para a gestão da COVID-19 https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14852 <p>Months after the coronavirus disease (COVID-19) outbreak in 2019, which has spread quickly as a pandemic in different parts of the world, affecting all sectors in state agencies and non-governmental organizations (NGOs), while the violation of recommendations for safety and self-care has grown into the most recent global crisis. As the given disease has caused vast closures and disruptions in education, politics, economics, etc., it has led to massive death tolls in the history of humankind. To avoid the rising prevalence rate of this virus, all individuals have to make some changes in their lifestyles, based on new scientific findings, even if these attitudes, ways of life, values, or world views are so far from what are recognized for centuries and managed in accordance with social world trends.</p> Aygul Z. Ibatova Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 01 02 10.29051/el.v7iEsp1.14852 Apresentação Edição Especial n.1, fev. 2021 – Contribuições e reflexões acerca do ensino das letras e da linguística sob diversos olhares e análises https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14853 <p>Contemplando a realidade contemporânea, a Revista EntreLínguas traz artigos com reflexões e contribuições relevantes da grande área de Letras e Linguística em um cenário de transição com inúmeros desafios. A importância de uma formação compreensiva e atualizada, tanto para professores em exercício como para novos professores, torna-se primordial para compreender, respeitar e lidar com diversidades, linguagens em novos espaços educacionais.</p> <p>Assim, esta edição da Revista EntreLínguas apresenta diversos artigos que abordam o tema do ensino, das letras e da linguística sob diversos olhares e análises, estando presentes nesse compêndio trabalhos das universidades<strong><em>: N.A. Dobrolyubov Nizhny Novgorod State Linguistic University, Kazan Federal University, Xi’na Internacional Studies University, Firat University, Ferdowsi University of Mashhad, American University of Central Asia, Azerbaijan State Pedagogical University, Korkyt ATA Kyzylorda State University, Mahambet Utemisov West Kazakhstan State University, Agrarian University of Havana, Kyrgyz-Turkish University, Abdu Vali Khan University, Sichuan International Studies University, Saint Petersburg State University, L.N. Gumilov Eurasian National University, North-Eastern Federal University, University of Presov </em></strong>e<strong><em> RUDN University.</em></strong></p> Rosangela Sanches da Silveira Gileno Sandra Mari Kaneko Marques José Anderson Santos Cruz Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 03 11 10.29051/el.v7iEsp1.14853 Publicidade como plataforma para jogo de línguas https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14854 <p>O presente estudo se dedica ao &nbsp;jogo de linguagem como um fenômeno publicitário de ampla difusão. Com referência à análise contextual do jogo de linguagem na publicidade, o artigo considera o alcance dos principais objetivos da publicidade (atrair consumidores potenciais e influenciar seu comportamento de compra) por meio de vários meios da linguagem criativa. O artigo discute e analisa diferentes tipos de jogos de linguagem baseados em meios fonéticos, lexicais e gramaticais da língua russa. Enfatizam-se os casos do jogo de linguagem com o uso de onomatopeias, homônimos e palavras nonce. As características específicas do fenômeno linguístico na publicidade são ilustradas com exemplos apropriados. Conhecidamente, a publicidade possibilita o jogo de linguagem e, em certos casos, é &nbsp;ambiente ideal para sua implementação. Considerando o jogo de linguagem como parte integrante do discurso publicitário, os autores do artigo tiram conclusões sobre a semelhança do objetivo comunicativo no jogo de linguagem e na publicidade. Além da contribuição para a teoria da publicidade do ponto de vista da linguística moderna, &nbsp;e para o desenvolvimento da teoria dos jogos de linguagem, &nbsp;os resultados do estudo exploram as possibilidades criativas da linguagem, incluídos na publicidade.</p> Chen Nianzu Juliya Victorovna Ageeva Li Yi Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 12 21 10.29051/el.v7iEsp1.14854 Palavras de empréstimo chuvash nos dialetos tartares de kreshin https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14855 <p>O artigo tem como objetivo mostrar as relações entre as línguas tartar e chuvash ao examinar as palavras emprestadas do chuvash no dialeto de Kreshin tartar, um grupo específico de tártaros. Tartaros e chuvaches, que viveram como vizinhos por muito tempo, não só têm relações econômicas e cotidianas, mas também têm influência linguística mútua, resultante de empréstimos mútuos. O artigo também abordará os estreitos vínculos entre os dois povos e algumas relações linguísticas. Serão observados empréstimos do chuvash presentes em várias áreas da vida diária do dialeto de Melki Kreshins, por exemplo, tundi kĭn (segunda-feira), utlari kĭn (terça-feira), kekey (carne), kukşa (skinhead), kırsut (fada de casa), cĭkres (gêmeos), çaplĭ (bom, bonito) etc. serão comparados com seus paralelos chuvash, em termos de características de uso. Além disso, os vestidos de meninas e mulheres de Melki Kreshins, que são aceitos como vestidos chuvash, mas cujos nomes não são retirados do chuvash, como takıya (adorno de cabeça feminino, decorado com pedras brilhantes e escamas, fez), tastar (hijab feito de tecido de linho branco), tastar yawligi (tastar hijab), kaşpaw (gorro redondo decorado com escamas, usado por mulheres no passado), etc. serão examinados com base em sua equivalência em tártaro, chuvash e outros dialetos.</p> Violetta Vitalyevna Aniferova Zoya Nikolaevna Kirillova Ercan Alkaya Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 22 30 10.29051/el.v7iEsp1.14855 Tecnologia do desenvolvimento do pensamento crítico: fundamentos teóricos e aplicação na escola secundária (ao ensino da língua russa) https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14856 <p>O artigo apresenta uma tecnologia pedagógica moderna para o desenvolvimento do pensamento crítico, que visa formar a capacidade dos alunos de analisar fatos, fenômenos e processos do ponto de vista da lógica em sua relação e interdependência. Ele revela as especificidades da tecnologia de desenvolvimento do pensamento crítico, fornece uma descrição da metodologia para o desenvolvimento do pensamento crítico usando o exemplo do ensino da língua russa no ensino médio: as etapas do processo educacional (desafio, compreensão, reflexão), técnicas e métodos de esta tecnologia, exemplos de sua aplicação e vantagens de uso. No decorrer do estudo, os autores concluem que a tecnologia de desenvolvimento do pensamento crítico é implementada por meio da inclusão interativa dos alunos no espaço educacional por meio de uma organização específica do processo educacional com base em três etapas principais e um sistema de métodos de ensino que implementam consistentemente as tarefas de cada estágio. A tecnologia de desenvolvimento de pensamento crítico ativa a atividade mental e de fala dos alunos e contribui para seu envolvimento ativo no processo educacional e cognitivo. O estudo é baseado nos métodos de observação, análise, síntese, descrição, comparação e generalização.</p> Ekaterina Gennadievna Shtyrlina Aida Marsovna Kazantseva Izanloo Hasan Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 31 38 10.29051/el.v7iEsp1.14856 Recursos educacionais online como parte essencial do processo de aprendizagem da língua Inglesa https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14859 <p>O artigo discute o uso de recursos educacionais online no processo de aprendizagem da língua inglesa. Os autores apresentam diversos recursos online para o ensino da língua inglesa que se revelam uma fonte eficaz na aquisição de uma segunda língua. Os recursos ajudam a melhorar a percepção da língua estrangeira, estudar regras gramaticais, ensinar a pronúncia correta, a se familiarizar com a cultura da língua-alvo e aumentar o interesse em aprender uma língua estrangeira. A vantagem de usar tais recursos tem por princípio a didática da visibilidade. A representação visual do material prova ser a mais importante e necessária para uma melhor percepção da informação – motivando as crianças a permanecerem focadas na tarefa ao criar um ambiente de linguagem natural. Como resultado desta análise, os autores tiveram uma visão ampla sobre o uso de recursos autênticos da web no ensino da língua inglesa. A análise também mostrou uma correlação completa entre o uso de tecnologias da Internet e o domínio do conteúdo do curso.</p> Shi Dandan Zulfiia Kh. Fazlyeva Nadezhda O. Samarkina Charles Carlson Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 39 46 10.29051/el.v7iEsp1.14859 Potencial emocional de unidades fraseológicas na língua Tartar https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14871 <p>As emoções têm um grande impacto na vida humana, sendo um dos fatores fundamentais no gerenciamento do comportamento humano. O artigo é dedicado a uma breve revisão da expressão da emocionalidade na língua tártara. O problema de estudar a imagem linguística de mundo está intimamente ligado ao problema da imagem conceitual de mundo que mostra as especificidades do homem e sua existência, sua relação com o mundo, as condições de sua existência. A imagem da linguagem do mundo explícita uma visão de mundo diferente e mostra a imagem geral do mundo. A atividade humana, que inclui o universo simbólico, isto é, cultural, como parte integrante, é universal e especificamente nacional. Essas propriedades determinam tanto a originalidade da imagem linguística do mundo quanto sua universalidade. Com base nas tendências modernas, novas direções na linguística estão sendo formadas que considerem as emoções: o aspecto sociolinguístico das emoções, etc., bem como, o aspecto cognitivo das emoções, o aspecto psicolinguístico das emoções e o aspecto linguoestilístico das emoções. O estudo fornece a classificação de unidades de linguagem emocionalmente ricas. No artigo, os autores também oferecem sua visão sobre as perspectivas futuras do estudo desse tema.</p> Firuza Ramzelovna Sibgaeva Raushaniya Sagdatzyanovna Nurmukhametova Madina Rashidovna Elvan Cafarov Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 47 54 10.29051/el.v7iEsp1.14871 Abordagem orientada étnica ao exame do modo imperativo no ensino do Russo como língua estrangeira https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14872 <p>Este artigo examina problemas de ensino da gramática da língua russa em aulas de “Russo como Língua Estrangeira” (referido como “RFL”) para alunos do contingente chinês. Os alunos, enquanto aprendem a gramática russa, encontram uma série de desafios, um dos quais é a tentativa de transferir seu conhecimento da língua nativa para a aprendizagem de uma língua estrangeira. Uma vez que as categorias gramaticais de diferentes línguas não são idênticas, a consciência do aluno tenta sobrepor uma língua à outra (fenômeno de interferência), o que por sua vez impede a aprendizagem adequada de determinada categoria gramatical da língua escolhida. Sem dúvida, focar em tais casos e ter em mente possíveis erros desse tipo enquanto aprende uma determinada categoria gramatical com foco em recursos da língua nativa dos alunos cria uma compreensão mais profunda da estrutura do idioma russo e evita casos de interferência. O presente artigo é relevante para o número de estudos relacionados ao exame de abordagens para a educação de orientação étnica de línguas estrangeiras. Uma análise detalhada dos métodos de expressão de incentivo na língua russa em comparação com os da língua chinesa é considerada altamente relevante. Os autores do presente estudo chegaram à conclusão de que a introdução ao modo imperativo russo e sua manifestação na linguagem e na fala podem ser apresentados com interesse a partir da posição de abordagem orientada para o ensino de classes "RFL" combinando aspectos gramaticais do aprendizado de línguas com um enfoque culturológico. A estrutura deste artigo e o material ilustrativo coletado podem ser úteis para os professores “RFL” em sua prática pedagógica na preparação e condução de aulas com alunos chineses, bem como na preparação de cursos de formação de gramática da língua russa e na criação de materiais auxiliares de ensino com base na abordagem de orientação étnica.</p> Elena Ivanovna Kolosova Tatiana Aleksandrovna Gimranova Zhongyi Zheng Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 55 65 10.29051/el.v7iEsp1.14872 Idiomas como unidades frásicas no ensino de uma língua estrangeira no espaço universitário de educação https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14873 <p>Atualmente, há uma atenção cada vez maior aos problemas culturais da educação no campo pedagógico. O tema “língua estrangeira” não só nos familiariza com a cultura do país e da língua que está sendo estudada, mas eleva as peculiaridades de sua cultura nacional por comparação, introduz valores universais, ou seja, promove a educação dos alunos no contexto do “diálogo de culturas” (ABDRAFIKOVA; AKHMADULLINA; YARMAKEEV, 2015). O envolvimento de componentes culturais e linguodidácticos, nomeadamente os idiomas da língua inglesa, é absolutamente necessário quando se atinge o principal objetivo prático no processo de ensino de uma língua estrangeira – a formação da capacidade de comunicação na língua alvo. Desta forma, aprender a se comunicar usando uma língua estrangeira em um sentido real implica a aquisição de conhecimentos e habilidades socioculturais (SHARAFIEVA et al., 2019). A abordagem linguodidática inclui o estudo e o uso de expressões idiomáticas como unidades frasais em língua estrangeira, que deve cumprir cinco funções: desenvolvimental, educativa, cognitiva e profissional. O ensino de uma língua estrangeira como parte de uma abordagem linguodidática pode ser definido como uma atividade conjunta de um professor e alunos, quando o primeiro transfere conhecimentos, competências e habilidades para os estagiários (ensino), e os últimos obtêm esses conhecimentos, competências e habilidades (aprendendo); como processo social, devido às necessidades de desenvolvimento da sociedade, o processo de atribuição de experiências sociais e socioeconômicas.</p> Aigul Mintagirovna Shakirova Rezida Akhatovna Fahrutdinova Raikul Kenesbayevna Diuanova Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 66 75 10.29051/el.v7iEsp1.14873 Métodos de ensino interativo como meio de formação de competência de comunicação de língua estrangeira de estudantes universitários https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14874 <p>O artigo descreve os destaques na criação da habilidade aberta de dialeto desconhecido, utilizando as estratégias de instrução intuitivas. As dificuldades de construir a habilidade informativa de dialeto desconhecido são resolvidas. A experimentação de habilidades na melhoria dessa aptidão foi feita com base na associação entre os membros. Um exame semelhante dos resultados em grupos de teste e controle é proposto. A estranheza lógica do artigo é que ele retrata a adequação da experiência de utilização da inovação de participação e do palco online Technology Entertainment Design na criação de dialeto desconhecido para adequação informativa de understudies.</p> Ramilya F. Mustafina Irina A. Shcherbakova Marina S. Ilina Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 76 85 10.29051/el.v7iEsp1.14874 Representação da linguagem de percepção visual no sistema verbal da língua Tartára https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14875 <p>Este artigo apresenta os verbos, que definem processos cognitivos. A atividade cognitiva começa com sensação e percepção; existem também percepções visuais, auditivas e outras. O objeto deste estudo são os verbos de percepção visual e sua representação no sistema verbal da língua tártara. Na língua tártara, funcionam vários verbos, expressões verbais e unidades fraseológicas que refletem várias nuances da percepção visual. A relevância do tema reside no fato de que os traços semântico-funcional, estrutural-derivacional dos verbos de percepção visual, que constituem uma parte significativa da estrutura lexical da língua tártara, não foram estudados. O estudo das peculiaridades semânticas e de formação de palavras contribui para a análise mais completa e abrangente da composição lexical da língua tártara. As conclusões tiradas durante o estudo são importantes para a construção de interpretações dos verbos de visão, para a descrição integral da gramática. Alunos e professores da língua tártara podem usar o material apresentado em sala de aula. O artigo fornece todos os significados e nuances dos verbos de percepção visual, o que aumenta principalmente o limiar de dificuldade na percepção adequada e no processo de aprendizagem deste material no curso de ensino da língua tártara como língua estrangeira. Os resultados podem ser aplicados ao desenvolvimento de manuais linguodidáticos, dicionários e livros de referência para o ensino eficaz da língua tártara.</p> Firuza Ramzelovna Sibgaeva Ruzilya Rashitovna Salakhova Aigul Galimzhanovna Bozbayeva Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 86 94 10.29051/el.v7iEsp1.14875 Características lingua-pragmáticas da cobertura do bilingualismo no discurso midiático do Tartaristão https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14876 <p>O artigo representa os resultados da análise do discurso da mídia tártara que visa definir as características linguísticas pragmáticas da cobertura do bilinguismo e configurações pragmáticas da identidade linguística tártara (em relação ao bilinguismo regional e individual), como o discurso da mídia tem “adequação exclusiva […] em pesquisas sobre o discurso da identidade linguística bilíngue”(ANTONOVNA; RISHATOVNA; GUMEROVNA, 2019) tendo analisado 50 artigos de jornal e 16 posts (todos encontrados) na rede social vkontakte (vkontakte vk.com). tendo o bilinguismo como o tópico central, os autores chegaram às seguintes conclusões sobre as peculiaridades da cobertura do bilinguismo no discurso da mídia tártaro: no discurso da mídia tradicional, o problema do bilinguismo é amplamente coberto, enquanto no discurso da internet tártaro encontra uma cobertura bastante fraca, mas muito mais emocional (já que o tópico é levantado por palestrantes com forte identidade nacional apenas). devido ao fato de que “o russo ainda é a língua funcional prevalente em todas as esferas de uso da língua no Tartaristão” (VESSEY, 2013). tanto no discurso da mídia tradicional quanto no discurso da internet, o uso da língua tártara em todas as esferas da vida é entendido como bilinguismo, não a coexistência das duas línguas oficiais da república, embora o reconhecimento do bilinguismo como parte da identidade nacional também ocorra. a posição real da língua tártara não é declarada legítima e tanto o governo da república quanto os falantes nativos comuns são culpados por isso. é frequentemente mencionado que o desenvolvimento do bilinguismo harmonioso no Tataristão requer a adoção de medidas legislativas adicionais, controle estrito sobre seu cumprimento, implementação mais ampla e melhor da língua tártara nos processos educacionais e legislativos, realização de eventos em apoio à língua tártara, etc. no discurso da internet, o problema do bilinguismo no círculo familiar também é levantado.</p> Albina Rishatovna Mordvinova Aida Gumerovna Sadykova Nailya Irekovna Gololobova Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 95 104 10.29051/el.v7iEsp1.14876 Aspectos linguísticos e didáticos da formação da “consciência linguística” no ensino de línguas estrangeiras: formação de habilidades gramáticais https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14877 <p>O processo de aprendizagem da gramática consome muito tempo.&nbsp;&nbsp; Conhecimento insuficiente da gramática costuma ser o motivo que impede as pessoas de se comunicarem de forma livre e competente em um idioma estrangeiro. Definitivamente, alguns livros oferecem um número suficiente de exercícios de gramática, mas, via de regra, esses exercícios não têm como objetivo a comunicação. Portanto, é bastante natural que, no início da formação de habilidades gramaticais, os alunos não tenham competência linguística suficiente e prontidão psicológica para se comunicar plenamente em língua estrangeira. Consequentemente, a tarefa do professor é criar tais condições no processo educacional onde os alunos sejam envolvidos na comunicação passo a passo, com um aumento gradual do estresse psicológico e da carga linguística, ao mesmo tempo incluindo tarefas gramaticais no processo de aprendizagem. Assim, a relevância deste artigo é determinada pelos crescentes requisitos de qualidade do ensino de uma língua estrangeira com vista a uma comunicação mais precoce e por questões pouco desenvolvidas relacionadas com o problema de desenvolver e melhorar as competências gramaticais.</p> Aida R. Nurutdinova Olga V. Shelestova Irian Vasallo Baez Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 105 114 10.29051/el.v7iEsp1.14877 Competência linguocultural como base para proficiência em língua estrangeira https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14878 <p>O artigo se dedica ao problema da formação da competência linguística e cultural durante uma aula de língua estrangeira no Ensino Fundamental II. A influência da interferência intercultural será significativamente compensada pela inclusão do aspecto linguoculturológico no conteúdo do ensino de língua estrangeira, o que poderia servir como um sistema de valores unificadores que nos permite compreender os limites de nossa própria identidade linguística e a identidade de um nativo falante da língua. O artigo analisa os resultados de uma experiência pedagógica voltada para a formação da competência linguoculturológica de alunos do ensino médio. Todos os métodos e técnicas de ensino foram orientados para estimular a atividade de fala criativa dos alunos, bem como cognitiva, o que aumentou a eficiência do ensino da língua estrangeira. Os autores confirmaram a hipótese de que o processo de ensino de língua estrangeira terá mais sucesso se o aspecto linguoculturológico estiver incluído no conteúdo desse ensino, compreendendo a utilização de informações linguísticas e culturais como fonte valiosa de material linguocultural. Por isso, foram criadas as condições para uma assimilação bem-sucedida de conhecimentos, a formação e o aprimoramento da competência linguocultural na aula de língua estrangeira. Os resultados de uma experiência pedagógica podem ser usados em uma aula de língua estrangeira no Ensino Fundamental II.</p> Elena Antonovna Tulusina Aida Gumerovna Sadykova Zarema Mukhtarovna Zaripova Charles Frederic Carlson Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 105 125 10.29051/el.v7iEsp1.14878 Especificidade linguocultural das unidades fraseológicas no processo do ensino de línguas https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14879 <p>Na linguística moderna, há um grande interesse na análise de material linguístico e cultural no processo de ensino de línguas, forma-se um paradigma antropocêntrico, a língua é considerada não apenas dentro de sua função comunicativa e cognitiva, mas como uma espécie de código cultural de comunidades linguísticas e culturais individuais. O objetivo deste artigo científico é estudar a manifestação da visão de mundo linguística e cultural e estudar o aspecto linguístico e cultural da aprendizagem do inglês por meio de unidades de nível fraseológico. O estudo da estrutura conceitual nos permite identificar propriedades mais profundas e significativas de um objeto ou fenômeno. Tais propriedades representam características generalizadas de um objeto ou fenômeno que são consideradas as mais importantes e necessárias para sua identificação, uma vez que as características de um objeto ou fenômeno formam a estrutura do conceito. O objeto deste artigo científico são as unidades fraseológicas que expressam os conceitos do mundo interior de uma pessoa, as especificidades de seu funcionamento e interpretação na língua inglesa e aspectos de seu uso no processo de ensino de inglês. Todas as sutilezas da cultura de uma nação se refletem em sua linguagem, que é específica e única, pois capta o mundo e a pessoa que nele se encontra de diferentes maneiras (BUYANOVA, 1998). «Portanto, o problema da relação entre língua e cultura ocupa um dos lugares centrais nos problemas da investigação realizada no campo da linguoculturologia e das ciências cognitivas”. A linguoculturologia é o ramo da linguística que surgiu na intersecção da linguística e dos estudos culturais e explorando as manifestações da cultura do povo, que se refletiam e se fixavam na língua (VERESHCHAGIN, 1982).</p> Aida R. Nurutdinova Dina P. Sheinina Vilena R. Gagarina Muhammad Yousaf Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 126 134 10.29051/el.v7iEsp1.14879 O ensino de fonética nos termos de educação orientada étnica de aulas de "Russo como língua estrangeira" https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14880 <p>O artigo levanta a questão do ensino da fonética da língua russa em aulas de “Russo como Língua Estrangeira” (referido como “RFL”) para um grupo individual de estudantes da língua. Este estudo insere-se na categoria de pesquisas que se dedicam à análise de diferentes abordagens do ensino de línguas estrangeiras de orientação étnica. Em particular, erros típicos de estudantes chineses cometidos em aulas de fonética russa são analisados. Eles existem não apenas devido à interferência de duas línguas não relacionadas (chinês e russo), mas também devido às características dos dialetos chineses de vários alunos. A principal análise da pesquisa atual é o método comparativo de análise de línguas não relacionadas, que é definido para descrever características dos sistemas fonológicos das línguas russa e chinesa, bem como para descobrir erros de articulação típicos. Este artigo define a classificação dos erros de pronúncia típicos de todos os estudantes chineses, que é dividida pelos autores do artigo em dois tipos: interferência e erros de dialeto. Os autores concluem que a abordagem étnica orientada para o ensino da fonética da língua russa é bastante produtiva, pois cria a possibilidade de analisar erros fonéticos e momentos problemáticos para os alunos que estudam língua estrangeira, comparando-os com as características articulatórias e prosódicas específicas da sua língua nativa. A estrutura do presente artigo e a classificação dada de erros típicos podem ser bastante úteis para os professores das aulas de “RFL” em suas práticas pedagógicas durante a preparação das aulas com alunos chineses, e pode atrair a atenção de especialistas que estão desenvolvendo a fonética russa cursos e criação de manuais baseados em abordagens étnicas.</p> Tatiana Aleksandrovna Gimranova Elena Ivanovna Kolosova Lutsa Rada Aleksandrovna Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 135 143 10.29051/el.v7iEsp1.14880 Reiteração fraseológica de unidades fraseológicas em Inglês designando a idade da pessoa e sua tradução para o Russo https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14881 <p>O artigo se dedica ao estudo de um dos tipos de uso contextual de unidades fraseológicas (PU) para designar idade na língua inglesa e as formas de tradução da reiteração fraseológica para o russo. É apresentado um breve levantamento das obras em questão: a saber, o estudo experimental do uso ocasional de unidades fraseológicas por pesquisadores americanos e nativos. O objetivo da pesquisa é identificar a possibilidade de empregar dois aspectos da reiteração fraseológica (repetição de um ou mais componentes do PU que carregam a carga de significado principal, ou repetição de toda a unidade fraseológica) pelos informantes - falantes não nativos do inglês língua. Alunos do terceiro ano da Universidade Federal de Kazan, futuros especialistas na área de inglês, atuaram como informantes. O experimento foi realizado no final do sexto semestre letivo, após os alunos do curso de linguística cursarem noções básicas de fraseologia do inglês. Uma das seções deste curso é o estudo do uso contextual (cotidiano e ocasional) de unidades fraseológicas, para que os alunos já estivessem familiarizados com os mecanismos de transformações ocasionais de unidades fraseológicas e os testassem em sala de aula com uma série de exemplos retirados de ficção de escritores ingleses e americanos. As formas de tradução adequada da reiteração fraseológica para o russo em condições experimentais linguísticas também são analisadas.</p> Plankina Regina Maratovna Arsenteva Elena Fridrikhovna Yetzaneth Del Valle Diaz Natalia Grigorievna Med Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 144 153 10.29051/el.v7iEsp1.14881 Unidades fraseológicas como meio de expressão da emotividade na língua Tartara https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14882 <p>A sistematização e a descrição do arsenal de meios linguísticos de expressão de emoções representam uma das principais tarefas da linguística que retorna hoje à teoria de Wilhelm von Humboldt, que no início do século XIX apelava ao estudo da língua em estreita ligação com falantes individuais. Um interesse lógico dos pesquisadores pelos processos de manifestação das emoções na língua resultou na formação de um novo campo científico - a linguística das emoções voltadas para o ambiente emocional da língua. Na linguagem tártara, as emoções humanas são verbalizadas principalmente pelas unidades fraseológicas que representam vários estados mentais de uma pessoa, seu mundo interior. O estudo dos meios de expressão do vocabulário emotivo ilustrado pelas unidades fraseológicas oferece uma oportunidade de apresentar todo o complexo de meios da linguagem e da fala, além de contribuir para a compreensão da mentalidade e da psicologia de uma pessoa da língua tártara. Este artigo cobre as unidades fraseológicas tártaras que expressam conotação negativa. O grupo temático “raiva” representa o objeto de pesquisa. Os autores estudaram a semântica emocional e de avaliação de um determinado grupo de unidades fraseológicas e tentaram revelar a especificidade do modo de pensar e da visão de mundo do povo tártaro. A análise revelou que as unidades fraseológicas do grupo estudado são caracterizadas por uma grande diversidade de aspectos lexicais, semânticos, emocionais e avaliativos. O volume emocional e de avaliação das unidades fraseológicas varia dependendo do estado emocional do falante e de sua atitude para com o destinatário. A semântica cultural e conotativa das unidades fraseológicas está intimamente ligada à visão de mundo do povo tártaro, que se formou e foi enriquecida ao longo da experiência de vida.</p> Gulshat Raisovna Galiullina Gulfiya Kamilovna Khadieva Zilya Mullakhmetovna Mukhametgalieva Margarita Emilievna Dubrovina Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 154 161 10.29051/el.v7iEsp1.14882 A fisicalidade como possível chave para compreender a natureza humana https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14885 <p>não nega a presença do substrato de sua origem, manifestações, especificidade e dinâmica real no espaço e no tempo. No processo de análise, encontramos muitos argumentos que confirmam esse fato, bem como um número razoável de contra-argumentos. Neste artigo, a priori, partimos da validade da existência do termo "natureza humana", reconhecendo sua ambiguidade. Claro, nossa fisicalidade declarada como um aspecto da natureza humana não esgota a ideia de sua natureza. A divisão nominal em alma, espírito, etc. nos dá algumas ferramentas metodológicas. Não mais do que isso. A fisicalidade, por sua vez, requer problematização. "Fisicalidade" é uma categoria que denota o que um determinado corpo humano naturalmente se torna no decorrer de suas modificações sociais, portanto, essa categoria certamente não pode ser considerada fora da conjunção com outra categoria muito importante - "espiritualidade". Esses conceitos, assim como os fenômenos que denotam, estão inter-relacionados (MORGAN, 2006). Em nossa revisão, existem três maneiras principais de interpretar "Fisicalidade". Em primeiro lugar, é a única factualidade que inicialmente reivindica o status ontológico. Em segundo lugar, é parte de um todo harmonioso que inclui todas as coisas incorpóreas. Gostaria de me concentrar no terceiro aspecto, que inclui pelo menos três princípios. Em terceiro lugar, a fisicalidade muda seu "destino" aparentemente simples de maneira dramática, tornando-se um problema como forma da existência humana. Isso pode ser interpretado "como um ato criativo de superação de si mesmo". Somente essa superação do eu presente que se pressupõe uma confiança em sua relevância e realidade. Este evento ontologicamente condicionado é sempre baseado em si mesmo. Nesse sentido, o corpo como fenômeno criativo “nunca aparece por si só”. Mas é justamente a superação que é a característica constitutiva da existência humana. O homem é maior do que ele mesmo. Podemos dizer que o problema é um modo de ser humano. O problema na forma mais primitiva pode ser expresso como "Eu já quero, mas ainda não posso"”. De onde vem o desejo se o objeto de desejo (a situação desejada) ainda não está disponível? Como pode você quer algo que ainda não existe e nunca existiu? O próprio homem está alguns passos à frente (BUBLIK, 2006). A racionalidade humana se baseia não só na refletividade, mas também na capacidade de uma pessoa operar com ideias que não tem visibilidade objetiva (por exemplo, a categoria última do ser). Assim, o homem prova sua metafisicalidade: "a metafísica do homem expressa não só a presença da dimensão sobrenatural no homem, mas também sua capacidade de determinar a si mesmo, de ser sua própria criação". Os principais métodos usados para escrever o artigo são: a unidade histórica e lógica, o método de reflexão.</p> Zulfiya Z. Ibragimova Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 162 172 10.29051/el.v7iEsp1.14885 Sobre a questão de especificidade da linguagem de A.I. Vvedensky https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14886 <p>O objeto de análise do artigo é o jogo de linguagem como método de representação da visão de autor. O conteúdo por trás do termo “jogo de linguagem” é o espaço de arte da A.I. Vvedensky, poeta russo de vanguarda e filósofo. É analisada a distinção entre obras infantis e adultas. O conteúdo principal do presente estudo é uma análise dos métodos mais eficazes de apresentação de jogos de linguagem na comunicação artística do poeta, tais como versos livres, contaminação de unidades fraseológicas, comparações, indiferença semântica de lexemas, transformação de categorias gramaticais, frase deformação, etc. Com base na pesquisa realizada, são feitas conclusões acerca das especificidades do estilo de escrita individual do poeta. Na poética linguística de Vvedensky, o jogo de linguagem se manifesta em diferentes níveis de função do texto como um importante fator de formação do texto. É importante notar que as técnicas de jogos de linguagem encontradas na sua poesia para crianças visam construir um diálogo positivo e são vistas como um fenômeno positivo, enquanto suas obras mais maduras apresentam um mundo artístico abstrato com significado artístico abstrato.</p> Liana Mikhailovna Akhmetzyanova Ekaterina Gennadievna Shtyrlina Yevgeniya Aleksandrovna Zhuravleva Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 173 183 10.29051/el.v7iEsp1.14886 Semióticas da ficção no ensino do Russo como língua estrangeira https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14887 <p>Uma das condições para a difusão da língua russa é a educação de estudantes estrangeiros em universidades russas. Consequentemente, a busca por novas abordagens para o ensino do russo como língua estrangeira torna-se relevante. A prática tem mostrado que a literatura é um guia para a compreensão das características da língua russa e do desenvolvimento da fala oral. O objeto de estudo é um texto literário no sistema de ensino da língua russa. O objetivo deste trabalho é pesquisar as formas e métodos eficazes de ensino da língua russa a alunos estrangeiros com base no texto literário. Os resultados do estudo mostraram que a forma mais eficaz de treinamento é a utilização de tecnologias educacionais baseadas em aspectos da semiótica orientados para a prática. No material do poema de Gogol "Dead Souls" é mostrada a técnica de trabalhar com texto literário.</p> Anastasia Alexandrovna Korshunova Svetlana Maksimovna Petrova Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 184 192 10.29051/el.v7iEsp1.14887 Abordagem baseada em texto para o desenvolvimento da escrita na Rússia como aulas de segunda língua https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14888 <p>O artigo é dedicado ao uso de textos educacionais no desenvolvimento de habilidades de escrita durante o processo de aprendizagem do russo como segunda língua. É especialmente relevante para quem está cursando programas de ensino superior na Rússia e em russo. Ele discute os principais problemas que surgem no trabalho com vários gêneros de textos escritos apresentados em livros didáticos modernos sobre escrita. É dada atenção especial às diferenças no trabalho com tipos reprodutivos e produtivos de textos escritos, bem como aos gêneros incluídos no Teste de Russo como Língua Estrangeira (TORFL). Vários métodos foram utilizados, tais como comparativo, analítico, descritivo e outros. Todos os métodos usados nos permitiram identificar as características distintivas de exemplos de textos oferecidos em materiais de escrita modernos. Uma análise dos trabalhos dos alunos realizados durante as aulas, permitiu-nos tirar uma conclusão sobre as causas dos erros. O artigo consubstancia a possibilidade de incluir no processo educacional um novo gênero de textos escritos - as mensagens SMS. A relevância desta ideia explica-se pela tendência existente de utilização da comunicação eletrônica, bem como pela ampla distribuição entre os alunos de vários aplicativos de serviços de mensagem, como WhatsApp e outros.</p> Nadezhda Vladimirovna Makrishina Elena Viktorovna Khabibullina Guzi Lubomír Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 193 202 10.29051/el.v7iEsp1.14888 Translating texts on business and economics: some pitfalls for perspective translators https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14889 <p>O presente estudo teve como objetivo investigar os problemas de tradução mais comuns que os alunos do programa de formação profissional adicional “Tradutor para fins específicos” da Universidade Federal de Kazan tiveram ao traduzir textos sobre negócios e economia do russo para o inglês. Para cumprir o objetivo da pesquisa, 61 participantes receberam materiais autênticos de periódicos para tradução. Os textos continham traços lexicais - fraseológicos com características correspondentes às dificuldades mais comuns da tradução: termos econômicos, vocabulário não equivalente, neologismos, expressões idiomáticas, eufemismos, abreviaturas. Os resultados do estudo mostraram que os alunos têm um bom conhecimento da tradução dos principais termos econômicos e conhecem as técnicas de tradução. O maior desafio que enfrentaram estava relacionado com a tradução de expressões idiomáticas e falsos cognatos. Neologismos pareciam não ser palavras difíceis, mas bastante desafiadoras. A entrevista que se seguiu às tarefas de tradução ajudou a identificar as dificuldades subjetivas dos tradutores de perspectiva e as técnicas com que as enfrentaram. Os dados obtidos a partir das respostas dos participantes podem fornecer informações profundas para a concepção do programa.</p> Irina M. Solodkova Elena V. Grigoryeva Liliya R. Ismagilova Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 203 212 10.29051/el.v7iEsp1.14889 Uso de tecnologias de informação na formação de competência comunicativa de língua estrangeira https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14890 <p>Este artigo se dedica aos aspectos didáticos e metodológicos do uso das tecnologias da informação para o desenvolvimento da competência comunicativa em língua estrangeira e avalia o grau de sua formação entre os alunos. O objetivo do estudo foi determinar as condições didáticas para a utilização da modalidade de videoconferência como uma das ferramentas metodológicas para melhorar a eficácia do ensino de línguas estrangeiras em uma universidade, organizado em tempo integral e a distância. O principal método de pesquisa empírica foi o treinamento experimental, cuja avaliação dos resultados foi realizada com base em critérios especialmente desenvolvidos. O estudo mostrou que o alto potencial didático desse tipo de tecnologia da informação moderna, como a videoconferência com falantes nativos de uma língua estrangeira, pode ser realizado com um suporte metodológico competente, incluindo planejamento preliminar, preparação e estudo aprofundado de todos os aspectos e etapas a lição. Ao mesmo tempo, é necessária uma atividade de direção e coordenação de um professor que atue como moderador das atividades pedagógicas da aula. A avaliação das habilidades de fala dos alunos deve ser conduzida de acordo com critérios claros. Sujeito às condições didáticas identificadas, o processo educacional é enriquecido com novas formas organizacionais, a independência cognitiva dos alunos está se desenvolvendo, o interesse cognitivo é estimulado e a motivação positiva para aprender uma língua estrangeira é aumentada.</p> Оksana Vladimirovna Shemshurenko Gulnara Ilsurovna Nazarova Liliya Rafhatovna Nizamieva Elena Rafaelevna Porshneva Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 213 222 10.29051/el.v7iEsp1.14890 Verbo como meios de representação de optatividade em línguas diferentemente estruturadas https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14891 <p>O artigo tem como objetivo analisar a especificidade dos meios lexicais e gramaticais que expressam a semântica da optatividade em tártaro e inglês. O exame do assunto em questão com base em trechos literaturários é explicado por um uso difundido de verbos optativos na ficção, uma vez que são direcionados à esfera exclusivamente inerente ao mundo interior de uma pessoa. A fase final do estudo aborda a concretização social e pragmática das peculiaridades linguísticas do vocabulário verbal que expressa o modo optativo em línguas de estrutura diferentes – o tártaro e o inglês. A atualidade do estudo é fundamentada pelo fato de que a categoria do modo optativo verbal na linguística do mundo moderno não é tema de um estudo especial no momento. A cobertura insuficiente da categoria linguística de optatividade inicia principalmente no interesse considerável em seu estudo comparativo de contraste, que é permitir determinar os limites de formas gramaticais e unidades lexicais que expressam a semântica de desejo e identificando suas características semânticas. A complexidade do estudo é causada pelo ponto em que o artigo trata de uma tradução não mediada de belles-lettres do inglês para o tártaro sendo línguas de estrutura diferente e geneticamente não relacionadas, o que também atesta a atualidade do estudo.</p> Dilyara Ilnurovna Sharapova Ruzilya Rashitovna Salakhova Gelinya Chayretdinovna Gilazetdinova Aigul Galimzhanovna Bozbayeva Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 223 231 10.29051/el.v7iEsp1.14891 Policode: texto creolizado como meio de manipulação https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14892 <p>Uma maneira de influenciar é tornar um texto creolizado. No presente estudo, procurou-se discutir o potencial de manipulação dos textos crioulos. Adicionar uma ilustração a um texto verbal pode auxiliar a visualizar informações e causar um impacto planejado no destinatário, além do impacto do texto verbal, ou seja, o conteúdo do texto verbal é modificado. Três grupos de táticas foram identificados durante o estudo: 1) táticas de apoio (o conteúdo do texto recebe suporte da ilustração); 2) táticas transformadoras (transformação do conteúdo do texto); 3) táticas de distração (causando distração do destinatário quanto ao conteúdo do texto verbal). Usando as táticas do primeiro grupo, pode-se "dizer" a mesma coisa por meio de uma ilustração; usando as táticas do segundo grupo; pode-se acrescentar algo, mudar o conteúdo do texto verbal e, usando as táticas do terceiro grupo, pode-se distrair os destinatários do conteúdo do texto verbal.</p> Viktoriya Jurevna Garaeva Irina Vladimirovna Vashunina Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2021-02-28 2021-02-28 232 245 10.29051/el.v7iEsp1.14892