Formação de professores e inserção da disciplina Libras no ensino superior: perspectivas atuais

Autores

  • Claudia Regina Mosca Giroto Unesp – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Filosofia e Ciências – Departamento de Educação Especial. Marília – São Paulo. Faculdade de Ciências e Letras – Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar. Araraquara – São Paulo – Brasil. Pesquisadora do projeto em rede “Acessibilidade no Ensino Superior” (Obeduc/ Capes).
  • Sandra Eli Sartoreto de Oliveira Martins Unesp – Universidade Estadual Paulista. Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências – Departamento de Educação Especial. Marília – São Paulo – Brasil. Coordenadora do projeto em rede “Acessibilidade no Ensino Superior” (Obeduc/Capes).
  • Jessica Mariane Rodrigues de Lima Unesp – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Filosofia e Ciências – Pedagogia. Marília – São Paulo – Brasil. Graduanda. Bolsista de Iniciação Científica (Obeduc/ Capes).

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v10i5.7922

Resumo

A Lei n. 10.436/2002 (BRASIL, 2002), regulamentada pelo Decreto n. 5.626/2005 (BRASIL, 2005), estabelece a inserção da disciplina de Língua Brasileira de Sinais (Libras), de forma obrigatória, nos cursos de Pedagogia, demais licenciaturas e Fonoaudiologia. Com base nessa legislação, esta pesquisa, de natureza documental, realizada no âmbito do Programa Observatório de Educação (Capes), vinculada ao projeto em rede “Acessibilidade no Ensino Superior”, objetivou investigar a introdução dessa disciplina nas grades curriculares de cursos presenciais de Pedagogia, demais licenciaturas e Fonoaudiologia de uma instituição de ensino superior (IES) pública, bem como problematizar os propósitos dessa disciplina, nesses cursos, frente aos dispositivos descritos no Decreto n. 5.626/2005. Foram obtidas grades curriculares e planos de ensino disponibilizados no formato de domínio público e/ou encaminhados pelo coordenador dos cursos em questão, cuja análise contemplou, quanto às grades curriculares, as categorias: “Cursos que oferecem a disciplina Libras”, subdividida em “Disciplina obrigatória” e “Disciplina optativa”; “Cursos que não oferecem a disciplina Libras”. Quanto aos planos de ensino, dentre as categorias elencadas, são aqui destacadas: “Proposições da disciplina”; e “Conteúdos abordados”. Conforme os resultados obtidos, apenas quatro cursos oferecem tal disciplina. Outros 42 cursos não atendem a esse decreto, fato que permitiu concluir que o atendimento às normativas relatadas não tem recebido a atenção necessária na formação de professores e fonoaudiólogos na universidade investigada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

GIROTO, C. R. M.; MARTINS, S. E. S. de O.; LIMA, J. M. R. de. Formação de professores e inserção da disciplina Libras no ensino superior: perspectivas atuais. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 10, n. esp.1, p. 741–758, 2015. DOI: 10.21723/riaee.v10i5.7922. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/7922. Acesso em: 14 abr. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >> 

Artigos Semelhantes

<< < 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.