CHAMADA PARA DOSSIÊ "Sociologia Econômica: novos olhares em novas gerações"

Segundo Granovetter (1994), o que diferenciaria a sociologia econômica contemporânea daquela produzida pelos clássicos é o fato que esta última tem considerado, em suas análises, o núcleo duro da economia, o mercado, aproximando pesquisadores de diversas áreas, sociologia, antropologia, ciência política, administração, economia, dentre outras.

No seu fazer sociológico, esta importante área do conhecimento desconhece fronteiras disciplinares e estabelece um grande e amplo diálogo com disciplinas vizinhas, como as sociologias do trabalho, urbana, rural e das organizações, por exemplo. Além disso, trabalha em diálogo constante com a História, a Antropologia, a Economia e a Ciência Política e, da mesma forma, trabalha afinada com a literatura internacional e investe em densas pesquisas de campo, com especial ênfase nos elementos motivadores dos principais processos de transformação da sociedade contemporânea no último quartel do século XX e nas primeiras décadas deste século XXI, onde os mercados agem com uma gana cada vez maior de dominação e determinação do fazer humano, produzindo a necessidade de novos olhares sobre a realidade social para além dos “clássicos” das ciências sociais, mas sem desprezá-los amiúde, pois muitas de suas categorias são submetidas ao sério processo de confrontação com a realidade e o diálogo entre categorias de análise é fundamental para se perceber o papel dos grupos sociais na realidade atual.

No que se refere à sociologia econômica brasileira, existem pelo menos quatro textos que fazem um importante balanço sobre a sociologia econômica no Brasil (RAUD, 2009; LOPES JUNIOR, 2002; 2012; VERETA-NAHOUM, 2016).  Todos os analistas do campo concordam em alguns pontos: a sociologia econômica brasileira é um tipo de sociologia política e a sociologia econômica inova em temas e estratégias metodológicas, em função da interdisciplinaridade[1], onde o debate entre as categorias fundamentais das ciências humanas com as da sociologia são postas à baila neste processo de confrontação e compreensão da realidade social e de como são produzidos os novos olhares sobre esta realidade. É, ainda, consenso na literatura, a necessidade em se preparar uma nova geração de sociólogos da economia, visando provocar a nova geração de pesquisadores das ciências sociais e humanas em geral a necessidade de produzir um debate qualificado, dar continuidade a este projeto intelectual estabelecido e apontar os possíveis novos cenários para a elevação da qualidade deste debate no futuro.

Buscando incentivar o interesse pela sociologia econômica nas novas gerações de estudantes e pesquisadores, propomos esse Dossiê, que deverá trazer a contribuição de jovens pesquisadores interessados neste campo de estudo em franca expansão que é a sociologia econômica.