Alteridade e relações dialógicas: aproximações entre os pressupostos de Enrique Dussel e Paulo Freire

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v23i1.11965

Palavras-chave:

Alteridade, Diálogo, Educação, Transformação social.

Resumo

O texto possui como objetivo tecer aproximações entre os pensamentos de Enrique Dussel e Paulo Freire. A partir de um estudo descritivo crítico, fundamentado em uma pesquisa qualitativa, bibliográfica, tem-se como intenção elencar pressupostos que demonstrem, na concepção dos autores, o fazer de uma educação mais humana e libertadora. Educação que não aceita o fatalismo da precariedade do ser humano exposto ao sofrimento, mas que compreende uma ação radical de transformação a partir de uma relação entre condicionamentos e liberdade.

Biografia do Autor

André Luis Castro de Freitas, Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Rio Grande, RS.

Professor associado da Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Mestre e Doutor em Ciência da Computação. Mestre e Doutor em Educação.

Luciane Albernaz de Araujo Freitas, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense - IFSUL. Pelotas, RS.

Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense - IFSUL. Mestre em Desenvolvimento Social. Doutora em Educação Ambiental.

Referências

DUSSEL, Enrique. Para uma ética da libertação latino-americana: Acesso ao ponto de partida. v. 1. São Paulo: Loyola, 1977a.

DUSSEL, Enrique. Filosofia da libertação: Filosofia na América Latina. São Paulo: Loyola, 1977b.

DUSSEL, Enrique. Método para uma filosofia da libertação: Superação analética da dialética hegeliana. São Paulo: Loyola, 1986.

DUSSEL, Enrique. 1492: El encubrimiento del outro: hacia el origen del mito de la modernidad. Madrid: Nueva Utopia, 1992.

DUSSEL, Enrique. Filosofia da libertação: crítica à ideologia da exclusão. São Paulo: Paulus, 1995.

DUSSEL, Enrique. Ética da libertação na idade da globalização e da exclusão. Petrópolis: Vozes, 2000.

FANON, Frantz. Condenados da terra. v. 42. São Paulo: Civilização Brasileira, 1968.

GHIGGI, Gomercindo. Paulo Freire e a revivificação da educação popular. Educação. Porto Alegre, v. 33, n. 2, p. 111-118, maio/ago., 2010.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1969.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1983.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 9. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários a prática educativa. 28. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 38. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2004.

FREIRE, Paulo. Professora, sim; tia não: cartas a quem ousa ensinar. 24. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

FREIRE, Paulo. Pedagogia dos sonhos possíveis. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

Publicado

02/01/2019

Como Citar

FREITAS, A. L. C. de; FREITAS, L. A. de A. Alteridade e relações dialógicas: aproximações entre os pressupostos de Enrique Dussel e Paulo Freire. Revista on line de Política e Gestão Educacional, [S. l.], v. 23, n. 1, p. 202–216, 2019. DOI: 10.22633/rpge.v23i1.11965. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/11965. Acesso em: 8 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos