Revista Sem Aspas https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas <p>A <strong>Revista Sem Aspas <em>(Sem Aspas Journal) </em></strong>é iniciativa dos discentes e docentes do curso de Ciências Sociais da Faculdade de Ciências e Letras (UNESP, campus de Araraquara). A sua primeira publicação impressa foi divulgada no primeiro semestre de 2012. Em 2017, a sua publicação tornou-se periódica eletrônica online ao ingressar na Plataforma SEER/OJS.</p> <p>A revista é publicada continuamente, sendo valorizados os trabalhos acadêmicos nas disciplinas ministradas, na iniciação científica, nos trabalhos de conclusão de curso e nos programas de pós-graduação.</p> <p>A <strong>Revista Sem Aspas</strong> é espaço primordial para a divulgação dos trabalhos de graduação e pós-graduação da Faculdade de Ciências e Letras e de outras instituições de ensino superior nacional e internacional. O Conselho Editorial e Científico aceita para avaliação trabalhos oriundos de pesquisas efetivadas no âmbito da Antropologia, Ciência Política e Sociologia. Os artigos sobre cultura e educação, entre outros, devem estar relacionados a uma daquelas três áreas tronco das Ciências Sociais.</p> <p>É contínuo o fluxo de avaliação dos artigos enviados à revista. O periódico está indexado nas bases de dados <em>Google Scholar</em>, <em>Livre (Periódicos de Livre Acesso)</em>, <em>Diadorim</em>,<em> JURN</em>, <em> Sumários.org</em>,<em> Portal de Periódicos CAPES</em>, <em>BASE (Bielefeld Academic Search Engine)</em>, <em>LATINDEX </em>e <em>ClustrMaps</em>. <em> </em>É filiado à <em>Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC)</em><em> </em>e identificado pelo prefixo DOI (Digital Object Identifier).</p> <p>Em 2021, a <strong>Revista Sem Aspas </strong>é periódico de Publicação Contínua.</p> pt-BR Os manuscritos aceitos e publicados são de propriedade da <em><strong>Sem Aspas</strong></em>. Os artigos publicados e as referências citadas na revista <em><strong>Sem Aspas</strong></em> são de inteira responsabilidade de seus autores. semaspas2017fclar@gmail.com (Carlos Henrique Gileno) andersoncruz.unesp@gmail.com (José Anderson Santos Cruz) Mon, 07 Aug 2023 16:19:25 -0300 OJS 3.3.0.13 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Humanismo inumano https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/17787 <p>Resgatamo-nos e reconhecemos o dano criado à terra em que a assumimos como complexus. Como objetivo complexo analisamos o humanismo como inumano em uma desconstrução rizomática na decolonialidade planetária – a complexidade, como um transmétodo. É uma investigação onde a natureza da vida é recuperada. O transmétodo em suas reconstruções e conclusões nos leva à reforma do pensamento do humanismo nefasto, com o mote da pesquisa: Nunca humanistas, sempre planetários decoloniais em des-vinculações e re-vinculações complexas de pensar e agir. Se não houver uma des-vinculação entre humanismo e colonialidade, nunca poderemos religar essências libertadoras. Unimo-nos por exercícios decoloniais complexos planetários em instituições de ensino e comunidades. Somos afligidos pela dor na humanidade, diante de todos somos cristãos, não religiosos, pelo reconhecimento de Jesus Cristo como o filho de Deus que foi crucificado e ressuscitou para que ganhássemos uma vida eterna, com outro corpo em uma nova terra.</p> Milagros Elena Rodríguez Copyright (c) 2023 Revista Sem Aspas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/17787 Mon, 07 Aug 2023 00:00:00 -0300 A inserção da participação social brasileira no debate das teorias democráticas https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/17738 <p>O presente trabalho tem como objetivo explorar as interseções existentes entre as teorias democráticas e a participação social no contexto brasileiro. As teorias democráticas representam uma área crucial da Ciência Política e discutem como o conceito de democracia é compreendido por diferentes autores. Por sua vez, a participação social é outra área importante da Ciência Política e um princípio fundamental inerente à democracia, constituindo-se em um exercício essencial para estabelecer uma maior proximidade entre o Estado e a sociedade e viabilizar a implementação de políticas públicas. Através de uma revisão bibliográfica de autores referenciados nas teorias da democracia e na participação social, o artigo tem como propósito apresentar e analisar os conceitos-chave que aproximam essas duas áreas, considerando os pressupostos metodológicos da Ciência Política e da pesquisa em políticas públicas. A investigação realizada revela uma aproximação conceitual e metodológica que pode ser estabelecida entre as duas áreas no contexto brasileiro, uma vez que essas teorias convergem ao serem aplicadas em uma análise abrangente das condições que permitem a participação ativa da população na construção do sistema político.</p> Mariana Vasconcelos Copyright (c) 2023 Revista Sem Aspas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/17738 Mon, 07 Aug 2023 00:00:00 -0300 Educação libertadora segundo Antonio Gramsci e Célestin Freinet https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/18040 <p>Antonio Gramsci e Célestin Freinet conceberam uma educação democrática e libertadora, voltada para atender às necessidades das classes populares. Embora compartilhassem o mesmo objetivo, a escola moderna de Freinet e a escola unitária de Gramsci apresentavam metodologias distintas. Este artigo analisa e compara seus escritos, além de recorrer a outras pesquisas para destacar seus métodos pedagógicos em relação à realidade de sua aplicação. O presente estudo explora como as críticas de ambos os autores se complementam em suas propostas. Os desafios práticos, bem como a relevância de seus critérios educacionais, são abordados em consonância com a realidade histórica brasileira e suas necessidades sociais, para que a educação possa fornecer apoio efetivo. Reflete-se sobre as teorias de Gramsci e Freinet com base em seu objetivo comum de identificar na educação um caminho para uma sociedade igualitária, alcançando a libertação através do desenvolvimento do senso crítico.</p> Júlia Loffreda Costa, Waldemar Ferreira Netto Copyright (c) 2023 Revista Sem Aspas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/18040 Sat, 08 Jul 2023 00:00:00 -0300 Bolsa Família https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/18008 <p>Este trabalho aborda um debate concernente a uma política pública redistributiva que foi formulada com o intuito de abordar desigualdades historicamente mantidas no âmbito institucional do Brasil. A questão central que se apresenta é a compreensão da trajetória da formulação de políticas públicas no país como um processo de aprimoramento do conceito de cidadania, tendo o Programa Bolsa Família como alicerce para sustentar essa argumentação. Utilizando análise, interpretação e conexão com textos acadêmicos, o propósito primordial deste artigo é desmistificar algumas falácias disseminadas na sociedade brasileira, as quais procuram deslegitimar a eficácia desse programa, classificando-o como uma iniciativa populista e eleitoreira. Chegamos, ao final, à conclusão de que o enfrentamento das desigualdades requer medidas que vão além dos programas de redistribuição de renda.</p> Vinícius Bernardes Copyright (c) 2023 Revista Sem Aspas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/18008 Tue, 08 Aug 2023 00:00:00 -0300 A educação em Gramsci como resultado histórico das relações sociais e sua proximidade com o pensamento hegeliano e marxiano https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/17643 <p>Considerando o contexto do século XX e a ascensão dos regimes totalitários, é notório como as condições de trabalho e a liberdade humana foram desvalorizadas durante tal período. Sabendo disso, este escrito possui como objetivo investigar as análises feitas por Gramsci ao longo de sua vida sobre este fenômeno, de modo a compreender como ele se encontra conectado à uma tradição filosófica que o auxilia a pensar seu contexto social e, por conseguinte, a educação. Para atingir tais metas, foram traçadas semelhanças entre o pensamento gramsciano, marxiano e hegeliano, de maneira a comparar e relacionar conceitos centrais de cada filósofo, como os de crítica, ideologia, intelectual e história. Diante destas análises, conclui-se que é plausível apontar uma proximidade entre o pensamento gramsciano e as filosofias de Hegel e Marx, de jeito a evidenciar o porquê da educação em Gramsci é o meio de transformação do mundo.</p> <p><strong> </strong></p> José Antonio Espínola Copyright (c) 2023 Revista Sem Aspas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/17643 Tue, 17 Oct 2023 00:00:00 -0300 Os Sertões entre a civilização e a barbárie https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/16894 <p>Este artigo contextualiza a importância de “Os Sertões” de Euclides da Cunha, na Guerra de Canudos e no desenvolvimento da Sociologia Brasileira, destacando sua transcendência além de uma mera narrativa histórica ao explorar a intersecção entre ciência e arte, marcando a literatura brasileira. O objetivo principal é analisar como uma suposta perspectiva sociológica euclidiana influenciou o pensamento social brasileiro, especialmente através da antinomia entre os “civilizados” e os “bárbaros”. O referencial teórico incorpora as ideias de Euclides da Cunha, teorias sociológicas da época e conceitos da literatura comparada, enquanto a metodologia envolve análise crítica da obra e contextualização histórica e social da Guerra de Canudos. Os resultados destacam a contribuição significativa de Euclides da Cunha para a Sociologia Brasileira, introduzindo conceitos e abordagens únicas, e as discussões enfatizam sua relevância na compreensão das dinâmicas sociais e culturais do Brasil no século XIX. Este estudo contribui para a área ao ressaltar a importância do pensamento sociológico euclidiano na construção do pensamento social brasileiro e na compreensão das relações entre cultura e sociedade no contexto da Guerra de Canudos.</p> Guilherme Ferreira Defina Copyright (c) 2023 Revista Sem Aspas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/16894 Tue, 17 Oct 2023 00:00:00 -0300 Werner Sombart e a Noosociologia https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/16682 <p>O conceito de espírito em Werner Sombart foge à lógica economicista na análise do sistema econômico capitalista, pois, a partir de uma interpretação sociológica da história, o pensador alemão enfatiza as subjetividades capazes de se verter em arranjos comportamentais, ocasionando um sistema econômico que se relaciona às atitudes mentais dos indivíduos. Desse modo, o presente trabalho busca apresentar os principais conceitos e a importância de Werner Sombart a partir de seus próprios textos e comentadores, visando analisar o desenvolvimento do capitalismo dentro de um quadro de referência que coloca como endógeno os estudos sobre economia, sociedade e história a partir da noção de espírito, não reduzindo o capitalismo à economia, mas incorporando-a para explicar a mentalidade de uma época. Dessa forma, faz o resgate histórico de um dos conceitos-chave da sociologia a partir de um dos principais sociólogos do século XX.</p> João Guilherme Damiani Copyright (c) 2023 Revista Sem Aspas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/16682 Wed, 18 Oct 2023 00:00:00 -0300 Inconsciente e o processo de ab-reação do pensamento mágico Ioruba https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/18053 <p>Toda a ritualística propiciada pelo pensamento mágico Ioruba advém de mitos primordiais, bem como a ação e a reação no cumprimento ou não dos dogmas propostos. Dessa forma, as mitologias dos Orixás estruturam o inconsciente do adepto, de modo que ao incorrer no descumprimento de um preceito, gera-se males de diversas ordens. Entretanto, ao mesmo tempo, essa mitologia pode propiciar uma melhora qualitativa na vida dos neófitos. Assim, o estudo propõe uma revisão acerca do conceito de inconsciente na perspectiva de Claude Lévi-Strauss. Para tanto, serão revisitados os escritos a respeito da construção da antropologia estrutural para compreender o que é chamado de inconsciente e a aplicabilidade deste conceito junto ao pensamento Ioruba para, então, discorrer sobre a simbolização e os resultados objetivos dos rituais. A hipótese é que, ao trazer à consciência determinadas <em>quizilas</em>, possibilita-se que o conflito se desenrole num plano tal que conduz para seu desenlace.</p> Pedro Henrique Araújo, Beatriz Leal de Carvalho Copyright (c) 2023 Revista Sem Aspas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/18053 Tue, 17 Oct 2023 00:00:00 -0300 Direito e Ciências Sociais https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/17215 <p>O presente artigo científico objetiva demonstrar como instrumentos inseridos na área das Ciências Sociais podem contribuir para o campo jurídico. Para isso, a abordagem da relação entre ambas as esferas pontuará (i) as possíveis razões do distanciamento; (ii) as inevitáveis consequências dessa ausência de diálogo; (iii) e, por meio de exemplos, demonstrar que pesquisas que utilizaram métodos de áreas das Ciências Sociais puderam enxergar além do Direito, a fim de denotar a necessidade de se estreitarem os laços do mesmo campo, mesmo que com diferentes olhares. Desse modo, será possível compreender como essas duas esferas que não dialogam entre si podem contribuir para o avanço do campo jurídico.</p> Augusto Bergo, Jamil Gonçalves do Nascimento Junior Copyright (c) 2023 Revista Sem Aspas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/17215 Wed, 22 Nov 2023 00:00:00 -0300 Autarquias locais e boa governança em Moçambique https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/15481 <p>Ao longo dos anos, são diversas as questões que se levantam quanto à real importância das autarquias relativamente ao desenvolvimento local, e à forma como o desempenham. As autarquias locais são pessoas coletivas públicas territoriais dotadas de órgãos representativos que visam a satisfação dos interesses próprios das populações respetivas. A investigação incide, em particular, no Município da Beira. Especialmente no que concerne à capacidade de tomada de decisões articuladas com as condições locais, visa-se a ilustração das funções e competências que assume e desenvolve, bem como o papel de prestadora de serviços, no que diz respeito às acessibilidades, razão pela que o presente estudo tem como objetivo principal analisar a Importância das Autarquias locais para a promoção de uma boa Governança, Em conclusão, o papel da Autarquia consiste em aprimorar as infraestruturas urbanas fundamentais, abrangendo estradas, sistemas de drenagem e esgoto, bem como (b) aprimorar a qualidade e abrangência dos serviços urbanos essenciais, tais como a coleta de resíduos, saneamento e fornecimento de água.</p> Manuel Ossifo Abuchama Mopiua Copyright (c) 2023 Revista Sem Aspas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/15481 Fri, 24 Nov 2023 00:00:00 -0300 Possibilidades teóricas e metodológicas para interpretação do gosto e do consumo no mercado de plantas ornamentais https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/18098 <p>As plantas ornamentais raramente são alvo de estudo em Ciências Sociais, para enfrentar esse problema, foi proposto, além da consideração como um mercado, as categorias de gosto e consumo como centrais para construção dessa agenda de pesquisa. Para isso, mobilizou-se uma revisão bibliográfica sobre os temas do consumo e do gosto, além da consulta sobre a temática das plantas ornamentais na base de dados do SciELO e no Banco de Teses &amp; Dissertações da capes. Sobre o gosto, foi considerado que as plantas ornamentais representariam determinados estilos de vida e sociabilidades. Assim, mensurar o consumo de plantas ornamentais poderia também verificar em que medida existiria uma relação entre economia, estilos de vida e plantas específicas. A partir da mobilização dessas duas categorias, gosto e consumo, demonstrou-se a possibilidade de construir uma agenda de pesquisa que considere as plantas ornamentais como um fenômeno social relevante.</p> Lucas Vasques, Thais Caetano de Souza Copyright (c) 2023 Revista Sem Aspas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/18098 Fri, 24 Nov 2023 00:00:00 -0300 A formação integral do ser humano https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/17645 <p>Georg Kerschensteiner defendeu a criação de Escolas do Trabalho e da reforma educacional para o estabelecimento de uma educação ativa e prática. Visando analisar estes conceitos gerais, este artigo recorre a um caminho cronológico da formação de Kerschensteiner e explora as influências que recebeu de Johann Pestalozzi, John Dewey e Eduard Spranger, essenciais para compreender o pensamento kerschensteineriano. Deste modo, ainda que sucintamente, mostra a recepção inferencial de seus escritos no Brasil por Fernando de Azevedo e, em forma de estudo de caso, pela reforma educacional ocorrida em Pelotas – RS, em 1924. Diante de tal análise, é possível compreender os motivos da defesa kerschensteineriana da educação prática e sua necessidade para a formação de indivíduos integrais, capazes de produzir e conviver em sociedade.</p> Vitor Nicolau Palomo Garcia, Juliana de Souza Silva Copyright (c) 2023 Revista Sem Aspas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/17645 Thu, 30 Nov 2023 00:00:00 -0300 As Tonalidades do Amor https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/18069 <p>O artigo tem como objetivo apresentar uma análise comparativa sobre a concepção do amor por sociólogos clássicos, como Émile Durkheim, e por contemporâneos, como Danilo Martuccelli, entre outros, com foco em uma perspectiva masculina e majoritariamente branca. A partir dessa comparação, o texto explora como essa perspectiva é distinta da realidade amorosa vivida por mulheres negras, que, muitas vezes, são impedidas de experimentar o amor de forma plena, como pode ser observado na música “Normal Girl”, da cantora SZA. Na letra, a artista expressa as suas angústias ao relatar que nunca se sentiu verdadeiramente amada, uma vez que esse sentimento é percebido como um privilégio negado devido à sua cor de pele.</p> Milena Diamantino Pessi Copyright (c) 2023 Revista Sem Aspas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/18069 Sat, 30 Dec 2023 00:00:00 -0300