“A cada um convém uma coisa”: debate e polêmica em torno da Sociolinguística Paramétrica na história da linguística brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1807-1

Palavras-chave:

Historiografia da linguística, Quadro sociorretórico, Retórica, Linguística brasileira, Sociolinguística parametrica,

Resumo

Este artigo analisa um debate na linguística brasileira da década de 1980, quando Fernando Tarallo, José Borges Neto e Ana Lúcia de Paula Müller divergiram sobre a sociolinguística paramétrica. Na perspectiva de estudo da Historiografia da Linguística e a partir de um quadro sociorretórico de análise, que define diretrizes teórico-metodológicas desta proposta, o texto apresenta (i) considerações sobre o que se compreende nesta interpretação como retórica e (ii) uma análise historiográfica do debate. Esse olhar analítico considera para sua perspectiva interpretativa elementos discursivos dos discursos adotados no debate (ou seja, a retórica assumida pelos linguistas) e também elementos de natureza social, que podem circunscrever esses discursos em grupos específicos de pesquisadores em ciência da linguagem no Brasil. Aponta-se para o fato de que o debate em questão, diversas vezes referenciado quando se trata de uma história da linguística brasileira, manteve a sua natureza polêmica, evidenciando que a retórica dos linguistas, quando considerada pelo olhar historiográfico, deve ser compreendida a partir da sua inscrição social e histórica.

Biografia do Autor

Ronaldo de Oliveira Batista, Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), Centro de Comunicação e Letras, São Paulo, São Paulo

Professor do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Presbiteriana Mackenzie

Publicado

08/08/2018

Edição

Seção

Artigos Originais