Integração de predicados nominais em parser: uma experiência com as construções com o verbo-suporte dar em português brasileiro

Autores

  • Amanda Rassi Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Centro de Educação e Ciências Humanas, São Carlos – São Paulo – Brasil. http://orcid.org/0000-0001-5314-1868
  • Jorge Baptista Universidade do Algarve (UAlg), Gambelas – Faro – Portugal.
  • Oto Vale Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Centro de Educação e Ciências Humanas, São Carlos – São Paulo – Brasil.
  • Nuno Mamede Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores (INESC), Investigação e Desenvolvimento. Lisboa – Portugal.

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1811-5

Palavras-chave:

Verbo-suporte, Nome predicativo, Construção com verbo-suporte, Verbo-operador causativo, Parser XIP,

Resumo

Este artigo descreve a metodologia para a integração de predicados nominais, do tipo construções com verbo-suporte (CVS), no analisador sintático automático XIP, que é utilizado pela cadeia de processamento do Português STRING. Trata-se, mais especificamente, de 580 CVS com o verbo dar e um nome predicativo, cujas propriedades sintático-semânticas foram descritas, formalizadas e, em seguida, integradas à gramática do XIP, por meio de regras, a fim de extrair a dependência SUPPORT entre o nome predicativo (Npred) e o verbo-suporte (Vsup). A necessidade de tratar automaticamente as CVS decorre do fato de que elas são diferentes de construções com verbo pleno, possuem estruturas sintáticas complexas, possuem propriedades sintático-semânticas específicas e admitem transformações sintáticas sistemáticas, ainda que lexicalmente determinadas. O conceito de CVS, bem como a abordagem léxico-sintática adotada, segue os princípios teóricos e metodológicos do Léxico-Gramática. Como resultado da integração desses dados ao parser XIP, o sistema atingiu precisão de 85%, abrangência de 87%, acurácia de 80% e medida-F de 86%.

Biografia do Autor

Amanda Rassi, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Centro de Educação e Ciências Humanas, São Carlos – São Paulo – Brasil.

Bacharel em Linguística (2005), mestre em Linguística e Língua Portuguesa (2008) e doutora em Linguística Computacional (2015) pela Universidade Federal de São Carlos

Publicado

13/11/2018

Edição

Seção

Artigos Originais