Textos de divulgação científica: análise de duas reportagens sobre agrotóxicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-e11949

Palavras-chave:

Discurso, Enunciação, Observador, Perspectiva, Ponto de Vista, Sincretismo,

Resumo

Este trabalho constrói-se com o intuito de examinar o texto de divulgação científica como um texto sincrético para verificar como os sentidos constroem-se em cada uma das reportagens, destacando ainda o conceito de observador em semiótica discursiva como responsável pela manutenção da perspectiva ou do ponto de vista do discurso. Para atingir seu objetivo, o trabalho, pelo fato de ambas as revistas se valerem da linguagem visual e da verbal para compor suas reportagens, pretende, primeiramente, verificar como seus textos selecionados para a análise criam unidade de sentido ao integrarem as duas modalidades de linguagem. Em segundo lugar, propõe examinar como a questão do agrotóxico é abordada pela reportagem da revista Super Interessante e pela da revista Pesquisa Fapesp. O que se observa nesses textos é o propósito de divulgar informações científicas de maneira mais acessível ao público a que elas se destinam. Embora os dois se valham do emprego de recursos de linguagem semelhantes, eles são utilizados de forma distinta em função da diferença de seus interlocutores, o que instaura o observador responsável pela condução do ponto de vista. A semiótica discursiva será a base teórico-metodológica para entender os mecanismos sincréticos envolvidos na constituição dos referidos textos de divulgação científica e, ao utilizá-la, procuraremos destacar suas propostas para o tratamento dos textos verbo-visuais.

Biografia do Autor

Arnaldo Cortina, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências e Letras, Araraquara – SP - Brasil.

Doutor pela Universidade de São Paulo (1994), Pós-doutorado na Universidade de Limoges, na França (2001 – 2002), Livre-docente pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (2006) e Pós-doutorado na Universidade Paris VIII - Vincennes - Saint-Denis, na França (2012). Atualmente sou professor do Departamento de Lingüística, do Programa de Pós-graduação em Lingüística e Língua Portuguesa e Diretor da Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, campus de Araraquara.Desenvolvo pesquisa na área de semiótica e análise do discurso, com enfoque específico na questão do texto sincrético.

Publicado

23/10/2020

Edição

Seção

Artigos Originais