Lacunas entre os ataques complexos no português

um olhar diacrônico e algumas considerações relacionadas à percepção

Autores

  • Paulo Chagas de Souza Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. São Paulo - SP - Brasil https://orcid.org/0000-0003-0600-8401

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-e13210

Palavras-chave:

ataques complexos, português, fonologia, diacronia, percepção

Resumo

Embora o português admita sílabas com ataques complexos, os tipos de fato atestados estão sujeitos a diversas restrições. Em primeiro lugar, o único tipo de ataque complexo possível é o constituído por uma obstruinte não sibilante seguida de uma líquida. Mesmo nesse grupo menor de ataques complexos ainda há lacunas. Não é encontrado o ataque /dl/, e quase não é encontrado o ataque /tl/, que só ocorre em meio de palavra. Também não são encontrados ataques de palavras nativas com /vl/, e /vɾ/ na língua padrão não ocorre em início de palavra, a não ser na onomatopeia vrum. Este artigo examina essas lacunas com o objetivo de identificar por que elas existem. A conclusão do trabalho é que as lacunas em português com relação a ataques que têm a consoante /v/ como primeiro membro são explicadas como consequência das condições de surgimento dessa própria consoante a partir do latim. Já os dois primeiros ataques, /tl/ e /dl/, são desfavorecidos por dificuldades perceptuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Chagas de Souza, Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. São Paulo - SP - Brasil

Professor Doutor do Departamento de Linguística da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Fez mestrado e doutorado na Universidade de São Paulo, tendo realizado estágio-sanduíche na Stanford University em Palo Alto, Califórnia durante o doutorado, e pós-doutorado na Universiteit Leiden, nos Países Baixos.

Atua principalmente nas áreas de fonologia e morfologia, com interesse especial pela tipologia linguística, e tendo como pano de fundo o conjunto de modelos que se situa no campo da linguística cognitiva. Nesse sentido, na fonologia, especificamente, trabalha com uma concepção de corporificação em que a fonologia é fortemente embasada na fonética, inclusive na percepção. Tem também lecionado e realizado pesquisa sobre sistemas de escrita.

Além do português, tem realizado pesquisas sobre diversas outras línguas, principalmente da Europa e da Ásia. Entre elas se incluem com destaque, além do latim e outras línguas indoeuropeias, o húngaro e o finlandês.

Publicado

04/11/2021

Como Citar

SOUZA, P. C. de. Lacunas entre os ataques complexos no português: um olhar diacrônico e algumas considerações relacionadas à percepção. ALFA: Revista de Linguística, São Paulo, v. 65, 2021. DOI: 10.1590/1981-5794-e13210. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/13210. Acesso em: 27 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos Originais