Audiodescrição, dialogismo e exotopia no teatro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-e13537

Palavras-chave:

audiodescrição, acessibilidade cultural, dialogismo, exotopia, arte

Resumo

Este estudo analisa como a audiodescrição - modalidade de tradução intersemiótica - e a visita sensorial podem se constituir em arcabouço para acessibilizar a arte teatral a espectadores com deficiência visual. A pesquisa, de caráter qualitativo e construída sob os pressupostos da pesquisa-ação (MONCEAU, 2005), relata as etapas de uma experiência vivenciada no estado do Espírito Santo para possibilitar a esse público a fruição estética de um espetáculo teatral por meio dos sentidos remanescentes (KOEHLER, 2017). Desenvolve discussões sobre acessibilidade cultural (SARRAF, 2018), dialogismo e exotopia (BAKHTIN, 1997, 2002), e ancora o entendimento sobre a percepção da pessoa cega a partir de análises da doutora em Comunicação e Semiótica Joana Belarmino (2009). Conclui que o processo de planejar e executar a audiodescrição e a visita sensorial em um evento artístico ao vivo demanda rigor metodológico, exotópico e dialógico, com atitudes responsivas e multilaterais, em detrimento do improviso e do fazer solitário. E que o perceber o mundo, para pessoas com deficiência visual, propõe exercícios permanentes que envolvem o corpo, o espaço e os acontecimentos, consistindo em uma atividade estética.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andressa Dias Koehler, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Vitória – ES - Brasil.

Professora Adjunta da Universidade Federal do Espírito Santo. Ministra disciplinas de literatura e de linguística na Licenciatura em Educação do Campo. Coordenadora do grupo de pesquisa Leia - Leitura e Acessibilidade e membro do grupo de pesquisa Imagens, Tecnologias e Infâncias. Desenvolve pesquisa sobre leitura acessível, Braille e audiodescrição.

Gerda Margit Schütz Foerste, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Vitória – ES - Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade Federal Fluminense, com pós doutorado em Pedagogia Social pela Uni-Siegen, Alemanha. Professor do Programa  de pós graduação em educação da Universidade Federal do Espírito Santo. Coordenadora do grupo de pesquisa Imagens, Tecnologias e Infâncias.

Publicado

30/08/2021

Como Citar

KOEHLER, A. D.; FOERSTE, G. M. S. Audiodescrição, dialogismo e exotopia no teatro. ALFA: Revista de Linguística, São Paulo, v. 65, 2021. DOI: 10.1590/1981-5794-e13537. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/13537. Acesso em: 19 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos Originais