Letramento, heterogeneidade e alteridade: análise de narrativas orais produzidas por uma mulher não-alfabetizada

Autores

  • Leda Verdiani Tfouni USP - Universidade de São Paulo/Ribeirão Preto - SP
  • Anderson de Carvalho Pereira USP - Universidade de São Paulo/Ribeirão Preto - SP

Palavras-chave:

Letramento, Narrativa, Alteridade, Heterogeneidade, Discurso,

Resumo

Este trabalho tem por objetivo investigar narrativas orais produzidas por uma mulher não-alfabetizada do ponto de vista da instalação da heterogeneidade discursiva. A heterogeneidade é vista e detectada em uma dimensão constitutiva e em uma dimensão mostrada. A discussão baseia-se ainda no conceito de letramento, e, partindo do pressuposto de que existe uma interpenetração do discurso da oralidade e do discurso da escrita, procura detectar como, nas narrativas analisadas, esta alteridade constituída por quem sabe ler e escrever, é indiciada no discurso do não-alfabetizado. As narrativas apresentadas - “As três estrelas de ouro na testa” e “A Branca Flor de Antuninho”- foram produzidas por Madalena de Paula Marques: uma mulher não-alfabetizada e moradora da periferia de Ribeirão Preto-SP-Brasil. A análise procura mostrar que, ao jogar com os dois tipos de heterogeneidade citados, a narradora assegura um fluxo narrativo coerente concorde à função de autoria, conforme propõe a teoria de letramento que embasa o trabalho. Apontamos ainda aqui na direção de afirmar que estas narrativas, mesmo sendo orais, apresentam marcas de escrita constituída pela heterogeneidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

TFOUNI, L. V.; PEREIRA, A. de C. Letramento, heterogeneidade e alteridade: análise de narrativas orais produzidas por uma mulher não-alfabetizada. ALFA: Revista de Linguística, São Paulo, v. 49, n. 1, 2005. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/1369. Acesso em: 8 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos Originais