Adolescentes e primeiro emprego: da produção da experiência à estruturação subjetiva

Autores

  • Marlene Teixeira UNISINOS - Universidade do Vale do Rio dos Sinos/Porto Alegre - RS
  • Deise Marques Chamorro UNISINOS - Universidade do Vale do Rio dos Sinos/São Leopoldo - RS

Palavras-chave:

Enunciação, Subjetividade, Adolescência, Trabalho,

Resumo

Este artigo discute o lugar do trabalho no processo de estruturação subjetiva de adolescentes em situação de primeiro emprego, considerando-se as especificidades da organização do trabalho em fast-food. Fundamenta-se na lingüística da enunciação em diálogo com formulações sobre adolescência elaboradas pela psicanálise. O material de investigação constitui-se de: entrevistas gravadas com 30 adolescentes, selecionados entre os atendentes de uma loja de cadeia fast-food de Porto Alegre; texto veiculado no site sobre a filosofia que orienta a ação da empresa; entrevista com o gerente da loja que sediou a pesquisa. A análise do texto do site e da entrevista do gerente revela que a empresa coloca-se numa dupla posição, ao mesmo tempo em que desfavorece a singularização de seus jovens funcionários, por valorizar um ideal de perfeição, calcado na idéia de formação por “adestramento”, atua no sentido de dar lugar à instituição de novas enunciações. As entrevistas com os adolescentes mostram que, apesar dessa contradição, a inserção no universo do trabalho via empresa fast-food constitui-se em experiência significativa para os adolescentes, principalmente por possibilitar passagem para outras experiências profissionais e pela identificação com os pares.

Downloads

Publicado

18/05/2009

Edição

Seção

Artigos Originais