Verso é pra cantar: e agora, Virgílio?

Autores

  • Alceu Dias Lima UNESP - Universidade Estadual Paulista/Araraquara - SP
  • Márcio Thamos UNESP - Universidade Estadual Paulista/Araraquara - SP

Palavras-chave:

Sincronia, Língua materna, Prosódia, Poesia latina, Métrica latina,

Resumo

Embora as gramáticas latinas possam dar a impressão de que tratam de matéria cujo conhecimento dominamos com tranqüilidade, a verdade é que todo o latim que nós modernos podemos saber é inteiramente baseado em dados teóricos, isto é, escolares, e não empíricos. Isso significa que nosso conhecimento sobre essa língua antiga comporta mais lacunas do que gostaríamos talvez de admitir. É esse o caso fundamental da oposição entre vogais longas e breves. Procurar pensar o idioma dos antigos romanos como uma língua de fato, ou seja, como a língua materna de todo um povo, seria uma boa maneira de encaminhar o estudo do latim, à medida que aqueles dados teóricos possam ser compreendidos menos como referência de pura erudição e mais como sinal de humanidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

18/05/2009

Como Citar

LIMA, A. D.; THAMOS, M. Verso é pra cantar: e agora, Virgílio?. ALFA: Revista de Linguística, São Paulo, v. 49, n. 2, 2009. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/1407. Acesso em: 13 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais