O século XX, cenário dos dicionários fundadores da lexicografia brasileira: relações com a identidade do português do Brasil

Autores

  • Maria da Graça Krieger UNISINOS - Universidade do Vale do Rio dos Sinos/São Leopoldo - RS
  • Alexandra Feldekircher Müller UNISINOS - Universidade do Vale do Rio dos Sinos/São Leopoldo - RS
  • Andréa Roberta da Rocha Garcia UNISINOS - Universidade do Vale do Rio dos Sinos/São Leopoldo - RS
  • Rosinalda Pereira Batista UNISINOS - Universidade do Vale do Rio dos Sinos/São Leopoldo - RS

Palavras-chave:

Lexicografia brasileira, Dicionário monolíngüe, Dicionário fundador, Brasileirismo, Identidade,

Resumo

Este artigo define o século XX como um marco histórico da lexicografia brasileira, porque nele surgem os primeiros dicionários de língua que registram o português do Brasil. Numa primeira fase, este registro ocorre em obras publicadas em co-edição Portugal-Brasil, seguindo-se publicações, exclusivamente, nacionais. Com base num conjunto de critérios, seis obras são consideradas fundadoras da lexicografia brasileira. São analisadas suas condições de produção, privilegiando o ângulo das distintas formas de registro do português do Brasil em cada uma delas, sem a preocupação de avaliar os princípios de marcas de “brasileirismos”. O cenário comparativo entre as obras estudadas evidencia que a dicionarização do português do Brasil avança gradativamente, fator que contribui para estabelecer a feição do léxico brasileiro, bem como para configurar a identidade do português do Brasil e da própria lexicografia nacional. Destaca-se, dessa forma, o papel dos dicionários monolíngües como instrumentos de fixação e de legitimação do dizer das coletividades lingüísticas.

Downloads

Publicado

18/05/2009

Edição

Seção

Artigos Originais