Da teoria cognitiva a uma teoria mais dinâmica, cultura e sociocognitiva da metáfora

Autores

  • Ulrike Agathe Schröder UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais/Belo Horizonte - MG

Palavras-chave:

Teoria Cognitiva da Metáfora, Teoria da Mesclagem, Análise do discurso, Variedade cultural,

Resumo

O artigo aborda a pergunta até que ponto os reparos críticos com relação às afirmações tradicionais da teoria cognitiva da metáfora são superados por tendências atuais que se podem observar na assim chamada segunda geração. Depois de resumidos os pontos principais da crítica, são introduzidas três linhas de pesquisa atuais partindo de uma perspectiva cognitiva: a dinamização da visão tradicional pela focalização de estruturas emergentes e de processamento on-line na teoria da mesclagem (FAUCONNIER; TURNER, 2006), a ênfase da situatividade da metáfora nas abordagens voltadas para a análise do discurso (CAMERON; DEIGNAN, 2006; STEEN, 2004), e a inclusão de variedade cultural em pesquisas sobre a metáfora (KÖVECSES, 2005). Será mostrado que cada uma dessas linhas de pesquisa destaca um lado específico do triângulo linguagem – cognição – cultura e até que ponto a respectiva teoria introduz novos impulsos para a teoria cognitiva da metáfora.

Downloads

Publicado

10/06/2009

Edição

Seção

Artigos Originais