Sobre as relações entre nota e sílaba na palavra cantada

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-e14845

Palavras-chave:

reestruturação silábica, processos fonológicos, melodia, palavra cantada, prosódia

Resumo

A palavra cantada apresenta frequentemente construções anômalas do ponto de vista prosódico. Tudo indica que tais construções não podem ser descritas exclusivamente pelo ambiente linguístico em que ocorrem. A excepcionalidade dessas construções se manifesta na realização de processos fonológicos em ambientes nos quais tais processos seriam bloqueados e, reciprocamente, em seu bloqueio em ambientes nos quais seria esperada a sua realização. O objetivo do presente trabalho é descrever esse comportamento divergente da palavra cantada com relação à palavra falada. Inicialmente apresentaremos exemplos que ilustram a dimensão e a generalidade do problema. Em seguida argumentaremos que a excepcionalidade constatada pode ser explicada se assumirmos a hipótese de que a relação entre texto e melodia na palavra cantada é determinada por condições de boa formação. Uma dessas condições, que denominamos Pareamento Métrico, estabelece que a relação entre nota e sílaba é sempre bijetiva, ou seja (I) toda e qualquer nota de uma melodia deve ser pareada a uma e apenas uma única sílaba, e (II) toda e qualquer sílaba de uma cadeia deve ser pareada a uma e apenas uma única nota. A observância dessa condição de boa formação explica tanto a realização quanto o bloqueio de processos fonológicos em divergência com a fonologia do português falado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

27/02/2024

Como Citar

CARMO JR, J. R. do. Sobre as relações entre nota e sílaba na palavra cantada. ALFA: Revista de Linguística, São Paulo, v. 68, 2024. DOI: 10.1590/1981-5794-e14845. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/14845. Acesso em: 18 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais