Opacidade fonológica em português europeu e sua análise pela teoria da otimalidade: a teoria das cadeias de candidatos (MCCARTHY, 2007)

Autores

  • Gisela Collischonn UFRGS - Universidade Federal do Rio Grande do Sul/Porto Alegre - RS

Palavras-chave:

Teoria da Otimalidade, Opacidade, Português europeu,

Resumo

No quadro da Teoria da Otimalidade (OT), há um amplo debate a respeito da solução para o problema da opacidade - i.e. quando uma generalização fonológica não é plenamente satisfeita nas formas de saída. A OT clássica (PRINCE; SMOLENSKY, 1993; McCARTHY; PRINCE, 1995) não reconhece a existência de níveis intermediários entre input e output, o que acarreta dificuldades no tratamento de interações opacas. Diversas propostas buscam resolver o problema; dentre estas, as que introduzem alguma modificação na arquitetura da OT clássica, como a TO Serial (ITÔ; MESTER, 2001, 2003) e a Teoria das Cadeias de Candidatos (McCARTHY, 2007). Buscando contribuir para a discussão, analisamos a interação entre alguns processos do português europeu através da Teoria das Cadeias de Candidatos. Os dados são interessantes porque a produtividade destes fenômenos é bem atestada, confirmando a hipótese de que a opacidade reside na gramática e não no léxico da língua. A Teoria das Cadeias de Candidatos é superior às outras propostas na solução ao problema de opacidade observado. Esta proposta, entretanto, não consegue dar conta plenamente da opacidade sem lançar mão de condições especiais, as quais limitam a Liberdade de Análise defendida pela OT.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

10/06/2009

Como Citar

COLLISCHONN, G. Opacidade fonológica em português europeu e sua análise pela teoria da otimalidade: a teoria das cadeias de candidatos (MCCARTHY, 2007). ALFA: Revista de Linguística, São Paulo, v. 52, n. 2, 2009. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/1503. Acesso em: 15 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais