A produção de /ɾ/ em contexto bilíngüe (português/alemão): um estudo de caso

Autores

  • Cátia de Azevedo Fronza UNISINOS - Universidade do Vale do Rio dos Sinos/São Leopoldo - RS
  • Micheli Stein UNISINOS - Universidade do Vale do Rio dos Sinos/São Leopoldo - RS

Palavras-chave:

Bilingüismo, Líquidas não-laterais, Teoria da Otimidade,

Resumo

Este artigo traz dados de um estudo sobre a aquisição das líquidas não-laterais, cujo objetivo é investigar seus contextos de uso na fala de uma criança bilíngüe (português/alemão), na busca de semelhanças e diferenças quanto a esse fonema em ambas as línguas. São utilizados, para tal, dados de uma informante acompanhada dos 3;9 aos 4;3. Esses dados são analisados à luz da Teoria da Otimidade e comparados com estudos sobre crianças monolíngües. Percebe-se, através da análise, que a informante deste estudo ainda não adquiriu a líquida não-lateral /ɾ/, o que torna seus dados diferentes dos de crianças monolíngües, pois a idade de aquisição desse segmento em português é de 3;10, como indica a literatura sobre esse assunto. Com a explicitação das estratégias de reparo empregadas pela criança, é possível perceber que a substituição de /ɾ/ por /h/, como em [a’gɔha] para ‘agora’, predomina nos dados. A análise a partir de restrições, revela que, na gramática da informante, predominam restrições de fidelidade, o que, de acordo com a Teoria da Otimidade, indica que /ɾ/ ainda se encontra em fase de aquisição pela informante.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

10/06/2009

Edição

Seção

Artigos Originais