Interdiscursividade, metáfora e polarização

como a população em situação de rua é representada nos editoriais da Folha de S. Paulo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-e18070

Palavras-chave:

estudos críticos do discurso, população em situação de rua, editoriais, metáforas, polarização

Resumo

Este artigo analisa a representação discursiva da população em situação de rua nos editoriais da Folha de S. Paulo entre 2011 e 2020, tendo como aporte teórico os Estudos Críticos do Discurso (ECD) e a análise de metáfora. Editoriais são textos que caracterizam o posicionamento de um jornal, principalmente em momentos marcantes e de tensão para a sociedade, por isso, são um importante objeto de investigação. O corpus deste artigo, parte de trabalho de investigação mais amplo, é composto por oito textos publicados ao longo de uma década. A análise considera as seguintes estratégias e categorias: quadrado ideológico (Van Dijk, 2015, 2017), interdiscursividade (Fairclough, 2001, 2003) e a análise de metáfora (Charteris-Black, 2004). As análises apontam que os editoriais constroem representações negativas da população em situação de rua favorecendo o deslocamento forçado do grupo, negam seus direitos e disseminam discursos que contribuem para a exclusão e naturalização da desigualdade social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

12/04/2024

Como Citar

MENDONÇA, D. G. de; RESENDE, V. de M. Interdiscursividade, metáfora e polarização: como a população em situação de rua é representada nos editoriais da Folha de S. Paulo. ALFA: Revista de Linguística, São Paulo, v. 68, 2024. DOI: 10.1590/1981-5794-e18070. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/18070. Acesso em: 27 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais