Uma reflexão semiótica sobre a "Exterioridade" discursiva

Autores

  • Diana Luz Pessoa de Barros

Palavras-chave:

Semiótica discursiva, Determinações histórico-sociais, Temas e figuras, Interdiscursividade e intertextualidade, Semiótica do mundo natural

Resumo

A semiótica discursiva não trata a “exterioridade” discursiva como “exterioridade”, ou seja, como algo exterior ao texto ou ao discurso, mas não deixa de examinar, sob outro prisma e com outros nomes, aquilo que, em outros quadros teóricos, é denominado “exterioridade”. Para a semiótica, as relações histórico-sociais, que participam da construção dos sentidos dos textos, podem ser examinadas, metodologicamente, de três formas: pela análise da organização linguístico-discursiva dos textos, em especial de seus percursos temáticos e fi gurativos; pelo exame das relações intertextuais e interdiscursivas que os textos e os discursos mantêm com aqueles com que dialogam; pela relação entre duas semióticas, a do mundo natural e a das línguas naturais, que deve ser observada não no nível das palavras e das coisas, mas no das unidades elementares de sua constituição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

02/12/2009

Como Citar

BARROS, D. L. P. de. Uma reflexão semiótica sobre a "Exterioridade" discursiva. ALFA: Revista de Linguística, São Paulo, v. 53, n. 2, 2009. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/2120. Acesso em: 4 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais