Percorrer por dentro, visitar: uma leitura de A Mulher e a Casa, de João Cabral de Melo Neto

Autores

  • Diana Junkes Martha Toneto

Palavras-chave:

João Cabral de Melo Neto, A Mulher e a Casa, Semiótica tensiva, Iconicidade, Plasticidade

Resumo

O objetivo deste artigo é tecer algumas considerações sobre a poética cabralina a partir da leitura do poema A mulher e a casa, publicado em Quaderna. Para tanto, serão usados instrumentais da semiótica de linha francesa, notadamente, os conceitos de tensividade, iconicidade e plasticidade, pois se acredita que tal arcabouço teórico permite refl exões interessantes sobre o poema e, extensivamente, sobre o projeto poético de Cabral, apreensível em sua leitura. Mais do que pontuar a existência da fi gura feminina, do erotismo ou dos diálogos com Le Corbusier, todos esses aspectos importantes para o texto em questão, pretende-se mostrar como essas instâncias articulam-se em regime de mistura, confi gurando um adensamento da palavra poética, de modo que se pode perceber a conversão da linguagem dos objetos – casa, mulher em objeto da linguagem – poema. A plasticidade do signo poético seduz o leitor e este, manipulado pela estesia do texto, aceita a jornada. Entre a fratura e a escapatória, é instaurado, então, o espaço intervalar da leitura.

Downloads

Publicado

02/12/2009

Edição

Seção

Artigos Originais