Dialogismo e construção composicional em reportagens da revista Superinteressante

Carolina Cristovão de Macedo, Sheila Vieira de Camargo Grillo

Resumo


Este artigo investiga a influência das características do hipertexto digital sobre os textos impressos, observando o papel do leitor presumido nessa relação e as novas formas de leitura com base na teoria dialógica do Círculo de Bakhtin. Para responder aos problemas propostos, foi empreendida a análise de seis reportagens de divulgação científica da Revista Superinteressante, sendo três anteriores à grande disseminação da internet, em 1995, e três recentes. Pôde-se observar a ocorrência de uma composição hipertextual nas reportagens mais recentes, e que as possibilidades de leituras oferecidas pelos textos buscavam tornar o leitor mais participativo, de forma a evidenciar a dimensão dialógica defendida pelo Círculo. Alguns desses recursos já se mostravam de forma embrionária nas reportagens das edições mais antigas. Recursos comumente associados à internet foram possibilitados nas revistas impressas pelo contato mais recorrente dos leitores presumidos (geralmente jovens) com o meio digital. Esses recursos foram observados, sobretudo, no uso de três tipos de boxes: adicionais, complementares e conclusivos.


Palavras-chave


Dialogismo; Hipertexto; Divulgação científica; Construção Composicional; Análise do discurso;

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1981-5794