Dificuldades prosódicas em sujeitos cérebro-lesados

Ester Miriam Scarpa

Resumo


Os distúrbios prosódicos da afasia e disartria, na literatura daárea, têm sido vinculados à questão da lateralização da lesão e, conseqüentemente,do processamento lingüístico: a prosódia "lingüística" seria processadano hemisfério esquerdo e a "afetiva" processar-se-ia no hemisfériodireito. Sujeitos lesados no hemisfério direito nâo produziriam satisfatoriamentea chamada de "prosódia afetiva": apresentam poucas variações de F0, achatamento na tessitura, fala lentificada. Já afásicos lesados no hemisférioesquerdo teriam dificuldade de processar a prosódia responsável pela estruturaçãointerna das sentenças. Porém, contra-evidências a hipóteses de lateralizaçãohemisférica, mostradas por estudos de distúrbios prosódicosdecorrentes de lesões cerebrais diversas, bem como a contribuição de teoriasprosódicas recentes têm mostrado que esta divisão estrita deve ser revista.Um estudo comparativo realizado com dois sujeitos, um afásico e um disártrico,mostra que o conceito de prosódia usado na literatura é inadequado.Mostra também que os domínios prosódicos superiores da hierarquia prosódicaencontram-se preservados, em graus variados, tanto em afásicos (lesãoesquerda) quanto em disártricos (lesão frontal ou direita).


Palavras-chave


Afasia; disartria; fala de cérebro-lesados; prosódia;

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1981-5794