Efeitos metafóricos e graus de presença da enunciação no enunciado

Autores

  • José Américo Bezerra Saraiva Universidade Federal do Ceará
  • Ricardo Lopes Leite Universidade Federal do Ceará

Palavras-chave:

Enunciação, Tensividade, Profundidade, Metáfora,

Resumo

Este artigo assume como referencial teórico os postulados da Semiótica Discursiva, mormente na sua versão Tensiva (FONTANILLE; ZILBERBERG, 2001; FONTANILLE, 1998), que concebe o discurso como um campo de presença dotado de um centro sensível e de horizontes a partir dos quais as grandezas semióticas são moduladas em termos de presença e ausência, ou seja, um campo no qual as grandezas se tonificam ou se atonizam em relação a uma instância de natureza proprioceptiva. Nosso objetivo é analisar três notas jornalísticas com o propósito de acompanhar as modulações da presença da enunciação no enunciado. Supomos inicialmente que estas modulações promovem a tensão entre isotopias concorrentes, repercutem no grau de sua profundidade e, nestas notas, especificamente, geram um efeito metafórico graduável em termos de modo de existência semiótica. Os exemplos analisados mostram a necessidade de adotar um tratamento mais complexo para as relações entre enunciação e enunciado, sobretudo se quisermos levar em consideração a tensão entre estas duas instâncias, sempre regulada pelos modos de existência semiótica.

Biografia do Autor

José Américo Bezerra Saraiva, Universidade Federal do Ceará

Professor do Programa de Pós-Graduação em Linguística e do Departamento de Letras Vernáculas da Universidade Federal do Ceará.

Ricardo Lopes Leite, Universidade Federal do Ceará

Professor do Programa de Pós-Graduação em Linguística e do Departamento de Letras Vernáculas da Universidade Federal do Ceará.

Downloads

Publicado

28/06/2013

Edição

Seção

Artigos Originais