As vogais médias pretônicas na variedade do noroeste paulista: uma análise sociolinguística

Autores

  • Márcia Cristina do Carmo Doutoranda em Estudos Lingüísticos. UNESP – Universidade Estadual Paulista. Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas - Pós-graduação em Estudos Linguísticos. São José do Rio Preto – SP - Brasil.
  • Luciani Ester Tenani UNESP – Universidade Estadual Paulista. Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas – Departamento de Estudos Lingüísticos e Literários. São José do Rio Preto - SP - Brasil.

Palavras-chave:

Variação linguística, Sociolinguística quantitativa, Fonologia, Vogais médias pretônicas, Alçamento vocálico,

Resumo

No presente trabalho, analisa-se o comportamento variável das vogais médias pretônicas na variedade falada no noroeste paulista. Nessas vogais, encontra-se o fenômeno fonológico denominado alçamento vocálico, por meio do qual as vogais médias /e/ e /o/ são pronunciadas, respectivamente, como [i] e [u], como em p[i]queno e c[u]sturando. Como fundamentação teórica, segue-se a Teoria da Variação e Mudança Linguística, proposta por Labov (1991 [1972]). Por meio da utilização do pacote estatístico GOLDVARB-X, verifica-se, como exemplo de resultado obtido, a seleção da variável altura da vogal presente na sílaba subsequente à sílaba da pretônica-alvo como a mais relevante para a realização do alçamento, tanto para /e/, quanto para /o/, com altos pesos relativos no que diz respeito às vogais altas, resultado que evidencia uma substancial atuação da harmonização vocálica para a aplicação do fenômeno. Outro resultado relevante é a pouca influência das variáveis sociais para a aplicação do alçamento, o que demonstra que esse fenômeno se relaciona, sobretudo, a informações de natureza linguística.

Biografia do Autor

Márcia Cristina do Carmo, Doutoranda em Estudos Lingüísticos. UNESP – Universidade Estadual Paulista. Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas - Pós-graduação em Estudos Linguísticos. São José do Rio Preto – SP - Brasil.

Possui Graduação em Licenciatura em Letras (2006) e Mestrado em Estudos Linguísticos (2009) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Unesp/IBILCE. Desde 2009, é doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos na mesma universidade e realizou Estágio no Exterior na Newcastle University (Reino Unido), com bolsa CAPES/PDEE (Processo 2563-11-8). Obteve bolsas da FAPESP para o desenvolvimento de seus projetos de Mestrado (Processo 06/59141-9) e de Doutorado (Processo 2009/09133-8).

Luciani Ester Tenani, UNESP – Universidade Estadual Paulista. Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas – Departamento de Estudos Lingüísticos e Literários. São José do Rio Preto - SP - Brasil.

É Bacharel em Linguística pela UNICAMP (1990-1993), fez o Mestrado (1994-1996) e Doutorado (1996-2002) em Linguística, na subárea de Fonologia, na mesma universidade. Desde 1997, é professora da UNESP, câmpus de São José do Rio Preto, onde ministra disciplinas para graduação e pós-graduação. Desde 2010, é bolsista produtividade pesquisa do CNPq. Tem pesquisado e orientado principalmente sobre os seguintes temas: fonologia da língua portuguesa (variação vocálica) e relação entre fonologia e escrita.

Downloads

Publicado

28/08/2013

Edição

Seção

Artigos Originais