Representação lexical de classes verbais do PB

Autores

  • Márica Cançado UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Letras – Belo Horizonte – MG – Brasil
  • Luisa Godoy UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Letras – Belo Horizonte – MG – Brasil

Palavras-chave:

Estrutura argumental, Decomposição de predicados, Estruturas sintático-lexicais, Mapeamento semântico-sintaxe,

Resumo

Neste artigo, apresentamos uma proposta de representação lexical de algumas classes de verbos do português brasileiro, que consiste em dois níveis relacionados: o nível semântico-lexical, que é a própria estrutura argumental do verbo, e o nível sintático-lexical, que é uma estrutura de ligação entre a semântica lexical e a sintaxe sentencial. No nível semântico-lexical, está representado o sentido do verbo em uma estrutura composta por predicados primitivos, argumentos e uma raiz, similar à proposta de Levin e Hovav (1998, 2005). A estrutura de predicados é a parte compartilhada por verbos de uma mesma classe e a raiz é a parte idiossincrática do sentido de cada verbo individual. O nível sintático-lexical – representado pelas estruturas de Hale e Keyser (1993, 2002) funciona como um princípio de mapeamento entre o nível semântico e a sintaxe sentencial, sendo capaz de prever a organização e opções de realizações argumentais das classes de verbos na sintaxe. Os dois níveis estão relacionados pela raiz, que pertence a um determinado tipo ontológico na estrutura semântica e é mapeado na sintaxe lexical em uma determinada categoria gramatical. A relação entre os dois níveis não é do tipo um-para-um, pois existem mais categorias ontológicas que categorias gramaticais.

Downloads

Edição

Seção

Artigos Originais