A gramática de Damourette e Pichon com Lacan: uma problemática da enunciação

Autores

  • Bruno Focas Vieira Machado UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Letras. Pampulha – Belo Horizonte – MG –Brasil

Palavras-chave:

Sujeito, Enunciação, Linguagem, Inconsciente, Negação,

Resumo

Esse artigo pretende evidenciar a importância específica conferida à gramática Des mots à la pensée: essai de grammaire de la langue française, de Damourette e Pichon (1943) para se pensar as bases lógicas do conceito de enunciação. Para cumprir esse objetivo, coloca-se a obra dos gramáticos em diálogo com elaborações da psicanálise, mais especificamente com conceitos de Jacques Lacan (2007). Busca-se, assim, uma interface entre os campos da linguística e da psicanálise, debruçando-se sobre a dicotomia existente entre os conceitos de sujeito da enunciação e sujeito do inconsciente. A abordagem tecida é eminentemente teórica, confrontando conceitos de cada pensador e buscando compreender os seus respectivos pontos de interseção. Para atingir esse objetivo, buscou-se o estudo sobre a negação em língua francesa elaborada pelos gramáticos Damourette e Pichon (1930) e colocou-a em relação com a dicotomia enunciado-enunciação construída por Lacan (2005) principalmente no Seminário 6: o desejo e sua interpretação. Como conclusão, torna-se claro como a gramática é inevitavelmente atravessada pela subjetividade e pelos fenômenos enunciativos.

Downloads

Edição

Seção

Artigos Originais