Da fala para a leitura: análise variacionista

Autores

  • Dermeval da Hora UFPB - João Pessoa - PB
  • Maria de Fátima S. Aquino UFPB – Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa – Paraíba – Brasil. 58059-970

Palavras-chave:

Sociolinguística, Variação, Leitura e ensino,

Resumo

Os estudos variacionistas no Brasil têm focalizado, em sua maioria, os níveis linguísticos fonológico e sintático. Os vários projetos que se pautam em dados coletados em diferentes comunidades (VARSUL, PEUL etc.) procuram abordar seus resultados, utilizando todo o aparato teórico-metodológico que a Sociolinguística Variacionista tem colocado à disposição. Com base em resultados obtidos ao longo da implementação do Projeto Variação Linguística no Estado da Paraíba – VALPB (HORA, 1993), que tem seu corpus estratificado segundo o sexo, a faixa etária e os anos de escolarização, e buscando lançar um olhar para um novo conjunto de dados, dessa vez voltados para a leitura, este artigo contempla a variação linguística na leitura oral de alunos da primeira fase do ensino fundamental, tendo como processos de análise: ditongação, monotongação e apagamento do “d” no grupo –ndo. Os dados analisados apontam uma forte influência da variante dialetal do aluno na leitura oral. É essa relação entre o que o aluno fala e o que o aluno lê que motiva a busca por propostas de análise que vão além daquilo que a escola preconiza.

Biografia do Autor

Dermeval da Hora, UFPB - João Pessoa - PB

Professor da UFPB, atuando na graduação e na pós-graduação.

Downloads

Publicado

18/12/2012

Edição

Seção

Artigos Originais