A produtividade do conceito de gênero em Bakhtin e o círculo

Autores

  • Beth Brait Bolsista Produtividade CNPq. PUCSP - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Departamento Linguística – Pós-graduação em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem. São Paulo - SP - Brasil. 05014- 001 -
  • Maria Helena Cruz Pistori Bolsista Pós-doc da FAPESP. PUCSP - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Pós-graduação em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem. São Paulo – SP – Brasil. 05014-001

Palavras-chave:

Gênero do discurso, Bakhtin e o Círculo, Enunciado concreto, Texto, Discurso, Análise dialógica do discurso, Ensino,

Resumo

No Brasil, o conceito de gênero circula de forma intensa, incluído em documentos oficiais e em materiais didáticos. Considerando a amplitude alcançada pelo arcabouço teóricoprático denominado gênero, este artigo destina-se a todos os que, na vivência profissional ligada a ensino e pesquisa, enfrentam essa realidade e se dispõem a discutir, de maneira crítica e construtiva, nuances contemporâneas desse conceito, bem como suas consequências para os meios institucionais, quer acadêmicos, escolares ou editoriais. Esse enfrentamento exige o reconhecimento de que, em suas múltiplas filiações, o conceito de gênero implica dimensões teóricas e metodológicas diferenciadas, cujas consequências para a compreensão de textos e discursos não podem ser ignoradas. Dentre as reflexões existentes, encontra-se a que foi desenvolvida por Bakhtin, Volochinov e Medvedev. Embora o ensaio “Os gêneros do discurso” seja o único difundido e utilizado em documentos e pesquisas, ele não é o único a tratar da questão. Outros trabalhos do Círculo contribuem para a concepção de gênero fundada na ideia de que a linguagem se materializa por meio de enunciados concretos, articulando “interior” e “exterior”, viabilizando a noção de sujeito, histórica e socialmente situado. Essa concepção será apresentada, neste trabalho, de forma teórica e prática.

Downloads

Edição

Seção

Artigos Originais