Considerações sobre o prefixo <i>re-</i>

Autores

  • Alessandro Boechat de Medeiros UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro. Departamento de Lingüística e Filologia. Rio de Janeiro – RJ – Brasil. 21941-901

Palavras-chave:

Prefixo re-, Morfologia distribuída, Estrutura de eventos,

Resumo

presente trabalho investiga as propriedades morfossintáticas, morfológicas e semânticas do prefixo re- do português brasileiro assumindo o arcabouço teórico da Morfologia Distribuída. Busca-se, assim, estabelecer sua distribuição e sua contribuição semântica nos contextos em que ocorre. O artigo apresenta evidências de que o prefixo em questão modifica (repete) estados que tipicamente decorrem de eventos incluídos nas denotações dos verbos, nos quais a prefixação é licenciada. Assumindo estruturas de evento sintaticamente representadas, é possível entender a distribuição do prefixo e explica-se a interpretação do verbo prefixado, usando a ideia de escopo do prefixo na estrutura de evento associada ao verbo de base: na proposta, o prefixo terá escopo sobre a parte da estrutura que denota o estado atingido. O prefixo não será encontrado em verbos que não estejam associados a estruturas de evento que incluam um estado em sua denotação. Uma vez que estados nas estruturas de evento podem ser veiculados por adjetivos, raízes puras e certos tipos de sintagmas preposicionais, e que o prefixo é licenciado pela presença dessas estruturas, a aposta será de que o prefixo não faz seleção categorial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Edição

Seção

Artigos Originais