O sufixo <i>-rana</i> no português falado pelo caboclo amazonense

Autores

  • Orlando Azevedo Doutorando em Linguistica. UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Comunicação e Expressão – Pós-Graduação em Linguistica. Florianópolis – Santa Catarina – Brasil. 88040-900
  • Felício Margotti UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Comunicação e Expressão – Departamento de Língua e Literatura Vernácula. Florianópolis – Santa Catarina – Brasil. 88040-900

Palavras-chave:

Lexicologia, Morfologia gerativa, Região amazônica, Sufixo -rana,

Resumo

O artigo aborda a formação de palavras com o sufixo –rana no português falado em seis localidades situadas na região do Médio Solimões no Estado do Amazonas. O corpus para a análise foi retirado das respostas dos informantes ao questionário semântico-lexical da tese de Azevedo, que está em andamento e que trata da variação dialetal na região do Baixo Amazonas e do Médio Solimões. Para os propósitos da pesquisa, nossa fundamentação foi baseada no modelo da morfologia gerativa a fim de que fosse possível a construção de uma regra aplicável às bases que esse sufixo seleciona. Os resultados mostraram a existência de formações neológicas, uma vez que não foram encontradas em obras lexicográficas. Além disso, o sufixo –rana ao selecionar bases substantivas não muda a classe gramatical da palavra primitiva ao formar novos substantivos. Devido à regularidade, foi possível estabelecermos uma regra de formação de palavras para o sufixo –rana no português falado nessa região da Amazônia brasileira.

Downloads

Edição

Seção

Artigos Originais