O poder de uma diferença: um estudo sobre crenças e atitudes linguísticas

Autores

  • Hélen Cristina da Silva UEL – Universidade Estadual de Londrina. Programa de pós-graduação em Estudos da Linguagem. Londrina – PR - Brasil
  • Vanderci de Andrade Aguilera UEL – Universidade Estadual de Londrina. Programa de pós-graduação em Estudos da Linguagem. Londrina - PR - Brasil

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1409-8

Palavras-chave:

Crenças e atitudes linguísticas, Preconceito linguístico, Subdialetos paranaenses,

Resumo

O presente artigo analisa as crenças e as atitudes linguísticas de falantes naturais de duas cidades do Paraná: Londrina, pertencente à região norte, e Pitanga, localizada no centro do estado. Estas duas localidades apresentam falares que se diferenciam por fenômenos fonéticos, um dos quais consiste na realização da vogal anterior átona final /e/ e suas variantes [i] e [e], identificadas como características dialetais: a vogal alteada para Londrina e a vogal média mantida para Pitanga. A partir destas diferenças e embasados nos princípios teórico-metodológicos da Sociolinguística, bem como em pesquisas focadas em crenças e atitudes linguísticas (LAMBERT; LAMBERT, 1968; LABOV, 2008; LÓPEZ MORALES, 1993; MORENO FERNÁNDEZ, 1998; CALVET, 2004; SILVA, 2010; BOTASSINI, 2013), analisamos o posicionamento de 24 informantes (doze de cada localidade) frente ao seu falar e ao falar do outro e constatamos a presença de preconceito linguístico dirigido ao subdialeto pitanguense e, em contrapartida, uma alta valoração do falar londrinense manifestada por todos os informantes e sustentada, essencialmente, pelas coerções sociais que envolvem as duas cidades em questão.

Biografia do Autor

Hélen Cristina da Silva, UEL – Universidade Estadual de Londrina. Programa de pós-graduação em Estudos da Linguagem. Londrina – PR - Brasil

Doutoranda e mestre em Estudos da Linguagem (linha: Análise e Descrição Linguística) pela Universidade Estadual de Londrina (UEL); especialista em Língua Portuguesa pela mesma instituição e graduada em Letras Anglo Portuguesas pela Universidade Norte do Paraná. Participa como pesquisadora nos projetos Atlas Linguístico do Brasil (ALiB) e Tesouro do Léxico Patrimonial do Galego e Português: Brasil. Tem experiência na área de Dialetologia, Sociolinguística e Geolinguística e faz parte do corpo editorial da Revista Signum: Estudos da Linguagem (UEL).

Vanderci de Andrade Aguilera, UEL – Universidade Estadual de Londrina. Programa de pós-graduação em Estudos da Linguagem. Londrina - PR - Brasil

Possui graduação em Letras Franco Portuguesas pela Universidade Estadual de Londrina (1969), mestrado em Letras Assis pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1987), doutorado em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1990) e pós-doutorado na Universidade de Alcalá de Henares- Espanha. Atualmente é associado da Universidade Estadual de Londrina. É autora do Atlas Lingüístico do Paraná e integra a equipe dos projetos de pesquisa: (i) Atlas Lingüístico do Brasil, com sede na UFBA, projeto interinstitucional; (ii) Léxico Histórico do Português Brasileiro, projeto ligado ao projeto Para a história do Português Brasileiro - PHPB; (iii) Tesouro galego-português, projeto internacional (Espanha, Portugal e Brasil) com sede na Unviversidde de Santiago de Compostela - ES.

Downloads

Publicado

02/09/2014

Edição

Seção

Artigos Originais