A formalização da assimetria da lateral em onset e em coda de sílaba no português dos Campos Neutrais pela OT estocástica

Autores

  • Aline Neuschrank UCPEL – Universidade Católica de Pelotas. Programa de Pós-Graduação em Letras. Pelotas – RS – Brasil
  • Carmen Lúcia B. Matzenauer UCPEL – Universidade Católica de Pelotas. Programa de Pós-Graduação em Letras. Pelotas – RS – Brasil
  • Javier Eduardo Silveira Luzardo UCPEL – Universidade Católica de Pelotas. Programa de Pós-Graduação em Letras. Pelotas – RS – Brasil
  • Miriam Cristina Carniato UCPEL – Universidade Católica de Pelotas. Programa de Pós-Graduação em Letras. Pelotas – RS – Brasil
  • Raquel Menezes Vaz UCPEL – Universidade Católica de Pelotas. Programa de Pós-Graduação em Letras. Pelotas – RS – Brasil
  • Roberta Quintanilha Azevedo UCPEL – Universidade Católica de Pelotas. Programa de Pós-Graduação em Letras. Pelotas – RS – Brasil

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1502-8

Palavras-chave:

Líquida lateral, Onset, Coda silábica, OT Estocástica, Português dos Campos Neutrais,

Resumo

O foco de análise do presente estudo é a assimetria que a líquida lateral apresenta nas posições de onset e de coda de sílaba, uma vez que mostra estabilidade fonética no onset e variação na posição de coda. Como o funcionamento da lateral pré e pós-vocálica apresenta diferenças no português e no espanhol, este estudo elegeu, como objeto de análise, o português dos Campos Neutrais, na fronteira Brasil-Uruguai, por seu contato com o espanhol. A base empírica é o português dos Campos Neutrais, emprestada de Espiga (2001), já que, segundo o autor, nessa região a lateral em posição de onset se manifesta como alveolar, enquanto pode assumir cinco formas fonéticas na posição de coda: alveolar, velarizada, labializada, vocalizada e zero fonético. A explicitação e a formalização da assimetria da líquida lateral são propostas com base na Teoria da Otimidade Estocástica, por meio de restrições. Com base no mecanismo de alinhamento relacional, o presente estudo propõe restrições de distância de sonoridade inspiradas em Gouskova (2004), dela diferenciando-se por ter a particularidade de considerar a relação entre o onset e o núcleo e entre o núcleo e a coda de sílaba.

Biografia do Autor

Aline Neuschrank, UCPEL – Universidade Católica de Pelotas. Programa de Pós-Graduação em Letras. Pelotas – RS – Brasil

É doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Letras – da Universidade Católica de Pelotas (UCPEL). Possui Mestrado em Letras, na área de Linguística Aplicada, pela Universidade Católica de Pelotas, e Graduação em Letras - Português e Literaturas de Língua Portuguesa, pela Universidade Federal de Pelotas.

Carmen Lúcia B. Matzenauer, UCPEL – Universidade Católica de Pelotas. Programa de Pós-Graduação em Letras. Pelotas – RS – Brasil

É professora do Programa de Pós-Graduação em Letras – Mestrado/Doutorado – da Universidade Católica de Pelotas (UCPEL). Tem Mestrado e Doutorado em Letras, na área de Linguística Aplicada, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. É pesquisadora Nível 1 do CNPq.

Javier Eduardo Silveira Luzardo, UCPEL – Universidade Católica de Pelotas. Programa de Pós-Graduação em Letras. Pelotas – RS – Brasil

É doutorando do Programa de Pós-Graduação em Letras – da Universidade Católica de Pelotas (UCPEL). Professor Assistente da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Possui Mestrado em Letras, na área de Linguística Aplicada, pela Universidade Católica de Pelotas, e Graduação em Letras - Português/Espanhol e Respectivas Literaturas, pela Universidade Federal do Rio Grande(FURG). 

Miriam Cristina Carniato, UCPEL – Universidade Católica de Pelotas. Programa de Pós-Graduação em Letras. Pelotas – RS – Brasil

Possui graduação em Curso de Letras Português e Espanhol pela Universidade Católica de Pelotas e Mestrado em Linguística Aplicada pela Universidade Católica de Pelotas. Atualmente é professora da Universidade Federal do Pampa. Tem experiência na área de Letras e Pedagogia, com ênfase em Línguas Estrangeiras Modernas, atuando principalmente nos seguintes temas: fonologia, língua espanhola, lingüística, interferências e contato lingüístico. É doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Letras – Mestrado/Doutorado – da Universidade Católica de Pelotas.

Raquel Menezes Vaz, UCPEL – Universidade Católica de Pelotas. Programa de Pós-Graduação em Letras. Pelotas – RS – Brasil

É doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Católica de Pelotas (UCPEL). Possui Mestrado em Letras, na área de Linguística Aplicada, pela Universidade Católica de Pelotas (UCPEL), Especialização em Linguística pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialização em Psicopedagogia com ênfase em práticas inclusivas pela Facvest e graduação em Letras Língua e Literaturas de Língua Inglesa pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

 

Roberta Quintanilha Azevedo, UCPEL – Universidade Católica de Pelotas. Programa de Pós-Graduação em Letras. Pelotas – RS – Brasil

Economista do Instituto Federal Sul Rio-Grandense (IFSUL), doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Católica de Pelotas (UCPEL). Possui Mestrado em Letras, na área de Linguística Aplicada, pela Universidade Católica de Pelotas, Especialização em Gestão de Empresas pela Universidade da Região da Campanha (URCAMP) e Graduação em Economia pela Universidade Federal de Pelotas (UFPEL).

Publicado

23/02/2015

Edição

Seção

Artigos Originais