Percepção e produção dos padrões de VOT do inglês por aprendizes brasileiros: O papel de múltiplas pistas acústicas sob uma perspectiva dinâmica

Autores

  • Ubiratã Kickhöfel Alves UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Programa de Pós-Graduação em Letras. Porto Alegre – RS – Brasil
  • Márcia Cristina Zimmer UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Programa de Pós-Graduação em Letras. Porto Alegre – RS – Brasil

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1502-7

Palavras-chave:

Percepção de L2, Produção de L2, Língua inglesa, VOT, Pistas Acústicas,

Resumo

Neste trabalho, a partir de uma concepção dinâmica de aquisição fonéticofonológica de L2, investigamos a percepção (identificação e discriminação) e a produção dos padrões de Voice Onset Time (VOT) das plosivas iniciais do inglês por 32 aprendizes do Sul do Brasil. Partimos da premissa de que, sobretudo entre aprendizes com nível básico de proficiência, o VOT não se mostra como pista acústica prioritária para as distinções funcionais de sonoridade. Os resultados dos testes de percepção mostram que, independentemente do nível de proficiência dos aprendizes (básico ou avançado), o VOT tomado unicamente não se faz suficiente para a distinção entre /p/, /t/, /k/ e /b/, /d/, /g/. Tais resultados, que exercem influência sobre os dados de produção, corroboram uma visão dinâmica de aquisição de L2, a partir da qual múltiplas pistas acústicas agem em conjunto nas distinções entre sons, cabendo ao aprendiz saber selecionar aquelas pistas com caráter mais primordial no sistema a ser adquirido.

Biografia do Autor

Ubiratã Kickhöfel Alves, UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Programa de Pós-Graduação em Letras. Porto Alegre – RS – Brasil

Programa de Pós Graduação em Letras - UFRGS

Márcia Cristina Zimmer, UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Programa de Pós-Graduação em Letras. Porto Alegre – RS – Brasil

Programa de Pós-Graduação em Letras - UNIRITTER

Publicado

23/02/2015

Edição

Seção

Artigos Originais