A prosódia em sentenças sintaticamente ambíguas do português brasileiro: pistas de duração

Autores

  • Melanie Campilongo Angelo USP – Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas – Departamento de Linguística. São Paulo – SP – Brasil.
  • Raquel Santana Santos USP – Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas – Departamento de Linguística. São Paulo – SP – Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1504-7

Palavras-chave:

Fronteiras prosódicas, Frase fonológica, Atributo, Aposição local e não-local, Alongamento,

Resumo

Utilizando sentenças sintaticamente ambíguas pelas posições local e não-local do Atributo, este artigo discute o uso da duração como pista do mapeamento prosódico de sentenças no português brasileiro. O que se questiona é se os falantes diferenciam as leituras via alongamento conforme o domínio prosódico do significado pretendido. Para isso, o presente trabalho é baseado em um estudo comparativo da produção feita por 30 falantes do PB de 9 sentenças do tipo SN1-V-SN2-Atributo, em que, conforme a interpretação, pode haver uma fronteira de frase fonológica entre SN2 e o Atributo. Para efeitos de discussão acerca do tema, a teoria prosódica de Nespor e Vogel (1986) foi adotada. Os resultados encontrados não mostraram diferença estatística significativa na duração do contexto analisado (da última sílaba de SN2 até a primeira sílaba do Atributo) quando apenas as leituras são consideradas, mas apontaram para uma forte correlação entre interpretação e informante, e em todos os casos significativos havia uma duração maior dos contextos analisados quando o Atributo se referia a SN1, isto é, quando havia uma fronteira de frase fonológica entre SN2 e o Atributo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Melanie Campilongo Angelo, USP – Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas – Departamento de Linguística. São Paulo – SP – Brasil.

Aluna de Mestrado, orientanda da Raquel Santana Santos. Departamento de Linguística da FFLCH (USP) - Área Fonologia (e leve interface com sintaxe).

Publicado

28/04/2015

Edição

Seção

Artigos Originais