Estabelecimento do contraste entre as fricativas por crianças com transtorno fonológico: manipulação de pistas acústicas

Autores

  • Alessandra Pagliuso dos Santos Corrêa UNESP – Universidade Estadual Paulista. Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas – Pós-Graduação em Estudos Linguísticos. São José do Rio Preto – SP – Brasil.
  • Larissa Berti UNESP – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Filosofia e Ciências – Departamento de Fonoaudiologia. Marília – SP – Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1504-6

Palavras-chave:

quisição fonológica, Fonética, Análise acústica, Fricativas, Transtorno fonológico,

Resumo

O presente trabalho versa sobre a presença de contrastes encobertos na fala de crianças com transtorno fonológico. A hipótese perseguida é a de que as crianças com transtorno fonológico se ancoram em pistas acústicas secundárias na tentativa de estabelecer contrastes fônicos da língua. Para tanto, foram utilizadas cinco gravações em áudio, advindas de cinco crianças entre 4 e 5 anos com transtorno fonológico, que apresentavam as chamadas “substituições fônicas” envolvendo a classe de sons das fricativas. Os dados foram editados e analisados com o uso do software PRAAT. Foi realizada uma transcrição fonética da primeira repetição (R1) de cada criança, por três juízes, e considerada a concordância de 66%. A partir dessa transcrição, foi realizada a análise fonológica contrastiva acústica de todas as “substituições” envolvendo a classe de sons das fricativas, a partir de seis parâmetros. Verificou-se a existência de contrastes encobertos nas produções tidas como homófonas auditivamente, representando um total de 54% do total das “substituições” identificadas pelos juízes. As crianças com transtorno fonológico ancoram-se preferencialmente em pistas acústicas secundárias na tentativa de distinguir os fones fricativos. Os dados obtidos neste estudo permitem reflexão acerca da importância de se considerar o detalhe fonético no interior dos modelos fonológicos.

Publicado

28/04/2015

Edição

Seção

Artigos Originais