Ordem objeto-verbo no português do Brasil: mecanismo de expressão de subjetividade

Autores

  • Jussara Abraçado Professora Titular de Linguística. UFF – Universidade Federal Fluminense. Instituto de Letras – Departamento de Ciências da Linguagem. Niterói – RJ – Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1509-6

Palavras-chave:

Subjetividade, Ordem de palavras, Ordem OV, Português brasileiro,

Resumo

Neste trabalho, pautado na interface teórica entre Linguística Funcional e Linguística Cognitiva, pretendemos demonstrar que a relação entre ordem de palavras e subjetividade, verificada em pesquisas realizadas em diversas línguas, verifica-se também no uso que se faz da ordem objeto-verbo (OV) no português do Brasil (PB). Analisando as ocorrências da ordem OV na fala de 12 participantes da cidade do Rio de Janeiro, constatamos: (i) que a principal função da ordem OV no PB é a de retomar um tópico ou aspecto de um tópico para se predicar sobre ele; (ii) que tal função se subdivide em outras três: a de estabelecer contraste, a de atenuar uma afirmação precedente, e a de reforçar um tópico sob consideração; (iii) que a função principal e suas subfunções constituem mecanismos de expressão de subjetividade no PB.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jussara Abraçado, Professora Titular de Linguística. UFF – Universidade Federal Fluminense. Instituto de Letras – Departamento de Ciências da Linguagem. Niterói – RJ – Brasil.

Doutora em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e atua, na Universidade Federal Fluminense, como Professora Associada IV de Linguística, na graduação e Pós-Graduação. Atualmente exerce as funções de Diretora do Instituto de Letras da UFF, Coordenadora da Linha de Pesquisa Teorias e Análise Linguística do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem da UFF e Diretora e presidente do conselho editorial da Editora LETRAS DA UFF. É líder do grupo de pesquisa “Linguagem em uso, cognição e gramática”, cadastrado no CNPq, que reúne pesquisadores da UFF, da Universidade Católica Portuguesa e Universidade Aberta de Lisboa e membro do Grupo de Investigação “Linguagem, cognição e sociedade”, cadastrado na Fundação para Ciência e Tecnologia (FCT) de Portugal. Dedica-se a estudos na área de Linguística, com ênfase em Sociolinguística, Linguística Funcional e Sociolinguística Cognitiva, atuando principalmente nos seguintes temas: mudanças no sistema pronominal, ordem de palavras, cognição e gramaticalização, dêixis/referenciação.

Publicado

23/09/2015

Edição

Seção

Artigos Originais