O inventário e a distribuição subjacente das vogais temáticas na classe dos nomes do português

Autores

  • Carmen Lúcia Barreto Matzenauer UCPEL – Universidade Católica de Pelotas. Centro de Comunicação e Expressão – Pós-Graduação em Letras. Pelotas – Rio Grande do Sul – Brasil
  • Leda Bisol PUCRS – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Faculdade de Letras – Departamento de Letras. Porto Alegre – Rio Grande do Sul – Brasil

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1608-5

Palavras-chave:

Vogal temática, Classe dos nomes, Distribuição subjacente, Derivação e sua base, Morfofonologia do português,

Resumo

O artigo discute a distribuição subjacente e o inventário das vogais temáticas da classe dos nomes do português. Ao tratar da distribuição subjacente da vogal temática na constituição e na derivação das palavras, o estudo considera a possibilidade de a combinação de sufixos ocorrer com raízes ou com temas e adota a derivação com base no tema, admitindo que o tema está armazenado no léxico profundo; assim sendo, a vogal temática está na base do processo de derivação dos nomes da língua desde a subjacência. Na observação de fenômenos da gramática do português, três tipos de critérios dão suporte a essa posição: critério morfofonológico, critério morfológico e critério semântico. Com relação ao inventário das vogais temáticas nominais no português, o estudo reconhece o comportamento singular, nos nomes da língua, que mostra a vogal /e/ ao ser comparada com as vogais /o, a/. Enquanto a vogal /e/ mescla dois papéis: vogal epentética e, de forma restrita, vogal temática, sem correlação com o gênero, as vogais /o, a/ legitimam-se sempre como vogais temáticas e compactuam com o gênero das palavras.

Publicado

25/08/2016

Edição

Seção

Artigos Originais