A memória do acontecido e a memória-acontecimento: um estudo semiótico dos gêneros autobiográficos

Autores

  • Mariana Luz Pessoa de Barros UNINCOR – Universidade Vale do Rio Verde. Três Corações – MG – Brasil. 37410-000. USP - Universidade de São Paulo. São Paulo – SP – Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1608-6

Palavras-chave:

Memória, Gêneros autobiográficos, Semiótica, Gramática tensiva, Enunciação, Acontecimento,

Resumo

Com base nas noções de campo de presença e de acontecimento, desenvolvidas pela gramática tensiva, são propostas duas formas de memória como categoria analítica dos discursos autobiográficos: a memória do acontecido e a memória-acontecimento. Essas organizações discursivas da memória determinam modos diferentes de adesão do enunciatário aos discursos, uma vez que a primeira coloca em cena estratégias que privilegiam a legibilidade do texto e a segunda explora sua dimensão sensorial e afetiva. Tendo isso em vista, o objetivo central deste artigo é investigar, no quadro teórico da semiótica discursiva, a interação entre enunciador e enunciatário em diferentes gêneros autobiográficos, como a autobiografia literária em prosa, os poemas de caráter autobiográfico e os memoriais acadêmicos. Em cada gênero, a memória do acontecido e a memória-acontecimento se articulam de forma singular. É justamente a tensão que se estabelece entre essas duas memórias, entre essas duas formas de conhecer e produzir o mundo, que parece ser fundadora dos discursos autobiográficos.

Biografia do Autor

Mariana Luz Pessoa de Barros, UNINCOR – Universidade Vale do Rio Verde. Três Corações – MG – Brasil. 37410-000. USP - Universidade de São Paulo. São Paulo – SP – Brasil.

Possui bacharelado e licenciatura em Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo, mestrado (2006) e doutorado (2011) em Semiótica e Linguística Geral pela Universidade de São Paulo. Realizou estágio de doutorado-sanduíche na Université Paris 8, sob supervisão do Prof. Dr. Denis Bertrand, no ano de 2010. Atuou como professora de linguística e semiótica na Graduação e na Pós-Graduação e como professora de língua portuguesa no Ensino Fundamental II e no Ensino Médio (ensino regular e EJA). É membro do Grupo de Estudos Semióticos da USP (Ges-USP), coordenadora do Fórum de Atualização em Pesquisas Semióticas (FAPS-USP) e faz parte da Comissão Editorial da Revista Estudos Semióticos. Atualmente, desenvolve o projeto de pós-doutorado "Memória, ciência e educação: um estudo discursivo dos memoriais acadêmicos" junto ao programa de Semiótica e Linguística Geral da Universidade de São Paulo. Atua principalmente nos seguintes temas: linguística, língua portuguesa, semiótica, autobiografia, memória, tempo, gênero, literatura e ensino de língua portuguesa.

Publicado

25/08/2016

Edição

Seção

Artigos Originais