Objetivismo/subjetivismo em artigos científicos das diferentes áreas: a heterogeneidade da escrita acadêmica

Autores

  • Ângela Francine Fuza UFT - Universidade Federal do Tocantins. Câmpus de Porto Nacional. Porto Nacional – Tocantins

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1711-4

Palavras-chave:

Objetivismo, Subjetivismo, Escrita Acadêmica, Artigo científico,

Resumo

A existência do discurso que postula a homogeneização da escrita acadêmico-científica no processo de constituição do texto é a problemática que desencadeou esta pesquisa. Nesse sentido, o objetivo deste estudo é analisar artigos científicos brasileiros de periódicos A1 das diferentes áreas do conhecimento a partir dos elementos que constituem os gêneros, forma composicional, estilo e temática, delimitando aspectos que tendem ao objetivismo e ao subjetivismo nos textos. O trabalho se pauta nos pressupostos dialógicos do Círculo de Bakhtin, no tocante aos gêneros, ao objetivismo e subjetivismo, e nas pesquisas desenvolvidas segundo os princípios dos Novos Estudos do Letramento. Os resultados apontam que: a) todo enunciado é constituído de elementos subjetivos e objetivos; b) os aspectos que evidenciam objetividade e subjetividade marcam-se predominantemente na forma composicional (e arquitetônica) e no estilo dos textos, em diálogo com a temática; c) os artigos das diferentes áreas se assemelham, ao tratar de elementos que tendem à objetividade, como forma composicional e recursos linguísticos; d) os artigos diferem quando apresentam aspectos que, embora estejam na materialidade verbal, encontram significação no contexto extraverbal, perpassando a subjetividade, como escolha temática; variação no número de autores no texto etc.; e) a existência de nuances de objetividade e de subjetividade permite caracterizar a escrita nas áreas de forma heterogênea.

Biografia do Autor

Ângela Francine Fuza, UFT - Universidade Federal do Tocantins. Câmpus de Porto Nacional. Porto Nacional – Tocantins

Doutora em Linguística Aplicada (Unicamp). Mestre em Letras (UEM). Professora no curso de graduação em Letras e do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Publicado

19/12/2017

Edição

Seção

Artigos Originais