O vocalismo átono na história da língua portuguesa

Autores

  • Juliana Simões Fonte Pós-doutoranda em Linguística e Língua Portuguesa. UNESP – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Faculdade de Ciências e Letras – Departamento de Linguística. Araraquara – SP

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1704-7

Palavras-chave:

Vogais átonas, Alçamento vocálico, Variação, História da língua portuguesa,

Resumo

No português europeu atual, a regra de alçamento (elevação) de vogal média atua em todos os contextos átonos, sejam eles pretônicos (p[ɨ]gar, t[u]car) ou postônicos (núm[ɨ]r[u], árv[u]r[ɨ], pel[ɨ], pel[u]). Já entre as variedades do português brasileiro atual, essa regra costuma ser geral apenas para as vogais em posição postônica final e sem travamento silábico (pel[i], pel[u]); no contexto pretônico, a elevação da vogal média, nos falares brasileiros em curso, é uma regra variável, geralmente condicionada por contextos fonético-fonológicos específicos (p[i]dido, c[u]stume, [i]scola, [i]mprego, d[i]sconto). Com o intuito de investigar o processo de elevação de vogal média átona ao longo da história da língua portuguesa, este trabalho expõe e compara dados dos séculos XIII, XV e XVI que apontam a atuação da regra de alçamento entre as vogais pretônicas e postônicas de então. Esses dados, obtidos por Fonte (2010 a,b; 2014) a partir da observação da grafia empregada nas Cantigas de Santa Maria de Afonso X, no Cancioneiro Geral de Garcia de Resende e em Os Lusíadas de Camões, sugerem que, até o século XVI, pelo menos, o alçamento de vogal média era uma regra variável, bastante comum entre as vogais pretônicas, mas ainda incipiente entre as vogais postônicas finais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Simões Fonte, Pós-doutoranda em Linguística e Língua Portuguesa. UNESP – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Faculdade de Ciências e Letras – Departamento de Linguística. Araraquara – SP

Graduada em Letras pela FCL/UNESP, câmpus de Araraquara, onde também obteve o título de Mestre e Doutora em Linguística e Língua Portuguesa. Atualmente, é Pós-Doutoranda e professora colaboradora no departamento de Linguística dessa mesma instituição. Ao longo de sua carreira acadêmica, tem desenvolvido pesquisas na área de Fonologia e Linguística Histórica.

Publicado

02/05/2017

Edição

Seção

Artigos Originais