Paralisia cerebral: efeitos da escrita sobre a escrita

Autores

  • Roseli Vasconcellos Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências e Letras, Araraquara – SP http://orcid.org/0000-0003-0128-399X
  • Alessandra Del Ré Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências e Letras, Araraquara – SP

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1709-4

Palavras-chave:

Paralisia cerebral, Linguagem, Aquisição da escrita, Comunicação alternativa, Símbolos Bliss,

Resumo

Buscamos apreender efeitos da leitura de textos na escrita de uma criança, designada como S., impedida de oralizar e escrever de próprio punho por apresentar Paralisia Cerebral. Mediante dificuldades de S. na leitura, relatadas pela professora, uma atividade semanal foi proposta pela fonoaudióloga na sala de aula da escola-clínica que S. frequentava, a partir de livro de Eva Furnari, resultando em uma produção expressiva de textos pela criança. A essas produções somam-se transcrições de filmagens em que esses textos foram lidos, que compõem o corpus alocado no banco de dados do Grupo NALingua-CNPq. Tais dados foram analisados com base em Borges (2006) que propõe a alfabetização de crianças baseada na imersão em leituras de textos diversos. Os resultados apontam para um processo de aquisição da leitura e escrita peculiar, em que cruzamentos entre símbolos/escrita e escrita/escrita operam a leitura da criança. Suas produções trazem efeitos dos textos matriz, lidos em um jogo de espelhos que revelam o funcionamento da língua e, ao mesmo tempo, diferenças: marcas de um sujeito em sua singularidade. Mudanças objetivas e subjetivas na assunção de abordagem teórica diversa da do professor pelo fonoaudiólogo resultaram em mudanças objetivas e subjetivas na relação de S. com a escrita.

Biografia do Autor

Roseli Vasconcellos, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências e Letras, Araraquara – SP

Fonoaudióloga (USP, 1985); Bacharela em Letras UNESP, 2015); Mestre (1999) e doutora (2010) em Linguística e Estudos da Linguagem - LAEL - PUC/SP; Pós-Doutorado em Linguística - UNESP - Campus Araraquara.

Alessandra Del Ré, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências e Letras, Araraquara – SP

Mestre e doutora pela USP, realizou pesquisa de Pós-Doutorado na Université Paris X; docente do Departamento de Linguística da UNESP-FCLAr; líder do grupo de pesquisa NALingua (CNPq); desenvolve atualmente o projeto RIHA (Rire, humour et Acquisition du Langage) em colaboração com a Profa. Aliyah Morgenstern, financiado pela IDEX-Université Paris 3.

Publicado

01/09/2017

Edição

Seção

Artigos Originais