A produção de um efeito de copresença Lula-Dilma no discurso político-midiático de semanários brasileiros em 2010

Autores

  • Elaine de Moraes Santos Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Faculdade de Artes, Letras e Comunicação, Campo Grande – MS
  • Edson Carlos Romualdo Universidade Estadual de Maringá (UEM), Centro de Ciências Humanas Letras e Artes, Maringá – PR

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1709-2

Palavras-chave:

Copresença, Regularidades, Discurso político-midiático, História,

Resumo

Com base nos pressupostos teórico-metodológicos da Análise do Discurso (AD) de linha francesa, este artigo assume a concepção foucaultiana de história, como um conjunto descontínuo de temporalidades, e recupera os fios discursivos de um acontecimento singular no contexto brasileiro de 2010 – a indicação de Dilma Rousseff como candidata pelo Partido dos Trabalhadores (PT), para sucessão de Luiz Inácio Lula da Silva. Tomando o emaranhado de fatos e eventos que compuseram as condições de possibilidade da corrida presidencial do período e problematizando as relações de força que delineiam na contemporaneidade um discurso político-midiático, o presente trabalho busca analisar as regularidades/dispersões que orientam a discursivização de Dilma e Lula em um arquivo formado pelas 208 edições dos semanários CartaCapital, Época, IstoÉ e Veja, que foram publicados no ano eleitoral. Os resultados mostram a produção de um efeito discursivo de copresença Lula-Dilma, o qual, em três das mídias analisadas, explicita uma desqualificação da imagem da petista, como produto criado com fins eleitorais. Enquanto dispersão, na CartaCapital, o efeito discursivo destaca a parceria dos dois sujeitos como essencial à continuidade da política empreendida pelo partido.

Biografia do Autor

Elaine de Moraes Santos, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Faculdade de Artes, Letras e Comunicação, Campo Grande – MS

Docente de Linguística e Língua Portuguesa do Centro de Ciências Humanas e Sociais (CCHS) da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Líder do Grupo de Pesquisa Corpo, Surdez e Discursividades (político)midiáticas (SuDiC)CNPq-UFMS. 

Edson Carlos Romualdo, Universidade Estadual de Maringá (UEM), Centro de Ciências Humanas Letras e Artes, Maringá – PR

Professor Associado do Departamento de Teorias Linguísticas e Literárias da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Participante do Grupo de Estudos Políticos e Midiáticos da UEM (GEPOMI).

Publicado

01/09/2017

Edição

Seção

Artigos Originais