Os limites da sátira em O Sobrinho de Rameau, de Denis Diderot

Autores

  • Daniel Santos Garroux Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humana - Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada. São Paulo - SP http://orcid.org/0000-0001-7731-6079

Palavras-chave:

Gêneros literários, Sátira, Diderot,

Resumo

O artigo busca estabelecer uma relação entre a poética do Sobrinho de Rameau e o gênero da Sátira. A hipótese é a de que o texto, ao modificar alguns critérios de representação, rompe com as convenções vigentes do gênero à época. Não se pretende aqui, contudo, tomar como parâmetro a Sátira in abstractu, mas sim partir de alguns dos usos e concepções desse gênero próprios à segunda metade do século XVIII, que não serão descritos de forma será exaustiva. Trata-se de trazer para a discussão alguns traços hegemônicos e recorrentes, de modo a salientar os pontos em que eles se aproximam do que encontramos no texto de Diderot.

Biografia do Autor

Daniel Santos Garroux, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humana - Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada. São Paulo - SP

Concluiu doutorado em 2018 no Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada da Universidade de São Paulo - FFLCH - USP (Atualmente se dedica a pesquisar alguns autores franceses da segunda metade do século XVIII).

Downloads

Publicado

05/02/2019