"O silêncio das musas": épico, ciência e poesia em Haroldo de Campos

Gustavo Scudeller

Resumo


Épico e ciência parecem ter sido duas das mais importantes preocupações de Haroldo de Campos (1929-2003) em seus últimos vinte anos de vida. Finismundo: a última viagem e A máquina do mundo repensada são dois momentos significativos desse percurso. O presente trabalho propõe alguns caminhos de leitura para estes dois livros, destacando a relação que aqueles temas estabelecem entre si. Como ponto de partida, supõe-se que a poesia de Haroldo não toma a analogia entre épico e ciência como paradigma de leitura, mas como modo de pensar os problemas políticos e literários que constituem sua situação. A aposta numa poética da aventura como alternativa ao fim das utopias e a afirmação do duvidoso como forma de oposição às interpretações imediatamente dadas do presente constituem duas das principais linhas de interesse dessas leituras.

Palavras-chave


Épico; Ciência; Indeterminação; Poesia contemporânea; Haroldo de Campos; Epic; Science; Indeterminacy; Contemporary poetry; Haroldo de Campos

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1981-7886
ISSN: 0101-3505