A busca do infinito por meio da figura feminina em Nadja, de André Breton, e Voyages de l’ autre côté, de Jean-Marie Gustave le Clézio

Érica Milaneze

Resumo


Publicado em 1975, Voyages de l’autre côté, de Jean-Marie Gustave Le Clézio recupera de forma crítica alguns ideais da vanguarda surrealista por meio da personagem Naja Naja, que se associa explicitamente à personagem título de Nadja (1928), de André Breton. Como os surrealistas, Le Clézio subverte as relações do homem com o mundo, a fi m de suprimir o caráter cotidiano, utilitário e prático da vida. No entanto, rompe com o pensamento surrealista, pois o absoluto, segundo o autor, não precisa ser procurado em uma realidade abstrata, uma vez que está presente de modo concreto no seio do real. Dessa forma, Le Clézio se apropria da vanguarda surrealista, atualizando seus anseios no contexto da literatura contemporânea.

Palavras-chave: Le Clézio. Literatura francesa. Narrativa contemporânea.

Palavras-chave


Le Clézio; Literatura francesa; Narrativa contemporânea;

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 2526-2955