Nacionalidade, escola e voto: a liga nacionalista de São Paulo

Carlota Boto

Resumo


O presente artigo busca efetuar uma análise do discurso e da prática político-pedagógicos da Liga Nacionalista de Sáo Paulo entre 1917 e 1922. Tratava-se, no caso, de uma organização política de cunho cívico-patriótico vinculada a uma sociedade secreta. Abrigando em seu interior representantes de camadas médias da população, inclusive professores de escolas oficiais, a Liga Nacionalista contrapunha-se ao PRP, embora fosse também dirigida por segmentos dissidentes da elite paulista. N o período em pauta, os integrantes da referida entidade defendiam, como emblema maior da causa democrática, a aliança entre a luta pela conquista do voto secreto e a defesa da expansão das oportunidades de acesso à instrução primária.

Palavras-chave


História do Brasil; história da educação; escola; nacionalidade; voto; cidadania; liberalismo; Liga Nacionalista; democracia

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1984-0241
ISSN: 0101-3459