O projeto civilizatório nacional do instituto de nutrição da Universidade do Brasil (1946-1960)

Maria Letícia Galluzzi Bizzo, Nísia Trindade Lima

Resumo


A partir de artigos publicados na revista científica Arquivos Brasileiros de Nutrição no período 1944-1960, analisase o papel do Instituto de Nutrição da Universidade do Brasil como lugar de ideias científico-políticas que pregavam a garantia da alimentação pública como um meio de se elevar o Brasil, mantendo um diálogo com chaves de leitura e teorias disponíveis no pensamento social brasileiro de explicação da especificidade nacional e de suas potencialidades. A histórica fome do brasileiro, segundo tais ideias, representava a principal questão nacional, causadora de todos os demais problemas do país – como doenças, baixa produtividade, falta de um papel político para o povo e subdesenvolvimento – e era determinada por causas socioeconômicas e por desproteção por parte do Estado. Valendose da má alimentação como epicentro dos demais males nacionais, oferecia-se uma explicação alternativa às já pertencentes ao acervo da tradição do pensamento social, formulada com ajuda da elaboração intelectual de novos elementos teóricos de compreensão do Brasil. Refazer o Brasil pela resolução de sua dicotomia barbárie/civilização, em uma orquestração de conhecimento, direitos, educação, novos hábitos – através da alimentação – seria, segundo as ideias analisadas, trabalho movido pela racionalidade da moderna ciência inspirando o progresso social, mediante modificações na sociedade lideradas pelo Estado.

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1984-0241
ISSN: 0101-3459