Os três ciclos da sociedade e do estado

Luiz Carlos Bresser-Pereira

Resumo


A história do Brasil independente pode ser dividida em três ciclos políticos, e, desde 1930, em cinco pactos políticos ou coalizão de classes. Os três primeiros pactos são desenvolvimentistas. Apenas nos anos 1990 as elites brasileiras se renderam à hegemonia neoliberal. Entretanto, desde meados dos anos 2000 o Brasil está recuperando a ideia de nação. O principal argumento desse trabalho é que as elites brasileiras e a sociedade brasileira são “nacional-dependentes”, isto é, são ambíguas e contraditórias, só podendo ser expressas por um oximoro. A elite é dependente porque se vê como “europeia” e seu povo como inferior. Mas o mercado interno é suficientemente grande e o Estado brasileiro suficientemente capaz para levar essa elite a ser nacional. No presente, há uma volta ao desenvolvimentismo, talvez esteja se produzindo uma síntese entre os dois últimos ciclos políticos: entre o ciclo “Nação e desenvolvimento” e o ciclo “Democracia e justiça social”.

Palavras-chave


Revolução capitalista; Nacionalismo; Dependência; Interpretações do Brasil

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1984-0241
ISSN: 0101-3459