O perfil dos falantes pelo viés de suas redes de interação e a relação com a mudança linguística

Autores

  • Eliane Vitorino de Moura Oliveira Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Arapiraca – Alagoas

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1811-3

Palavras-chave:

Redes Sociais de Interação, Sociolinguística, Manutenção e Mudança linguística,

Resumo

Este trabalho mostra, por meio do mapeamento da fala de adolescentes oriundos de um distrito rural da cidade de Londrina, no Paraná, a Análise das Redes Sociais de Interação (social networks) - ARS, como um método analítico apropriado para o reconhecimento da realidade sociolinguística, uma vez que atua como um caminho eficiente para a obtenção de respostas sobre o comportamento linguístico de falantes, o que não é possível utilizando apenas as variáveis mais tradicionais (sexo, idade, classe social, escolaridade etc.). Utilizando o programa Egonet, software cuja função é quantificar os contatos pessoais, por meio da identificação de conexões e pontos dentro de redes egocêntricas, são apresentados mapas individuais das redes dos informantes, como um modelo apropriado de reconhecimento das referências linguísticas individuais. Pelo viés da Sociolinguística, no que concerne ao estudos da segunda onda, tendo como suporte teórico Milroy (1987 [1980]), Bortoni-Ricardo (2005, 2009, 2011 [1985], 2014), Coelho et al. (2015), entre outros, as discussões com enfoque nos resultados retratam a importância do trabalho com a ARS como um eficiente instrumento para os estudos da linguagem em geral, e sua relevância como um fator norteador no entendimento da manutenção e da mudança de falares como os analisados nesta pesquisa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane Vitorino de Moura Oliveira, Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Arapiraca – Alagoas

Docente no Curso de Letras-Português na Universidade Federal de Alagoas, Campus Arapiraca. 

Leitora do Brasil na Universidade de São Tomé e Príncipe pelo Programa Leitorado Brasileiro entre mar/2014 e jan/2017.

Doutora e Mestre em Estudos da Linguagem pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Londrina- Paraná

Publicado

13/11/2018

Edição

Seção

Artigos Originais